O euro subiu ligeiramente nesta quinta-feira (13) após a Itália anunciar que vai cortar seus planos de gastos orçamentários em uma disputa com a União Europeia, embora os operadores estejam com um humor cauteloso antes da reunião de política monetária do Banco Central Europeu

Os mercados globais estavam essencialmente positivos no início do dia devido a sinais de alívio nas tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China e a expectativas de que a
China vai aumentar o apoio à sua economia em desaceleração.

Isso se espalhou para as moedas, como o dólar australiano — um termômetro do sentimento de risco– ganhando 0,3 por cento.

Alvin Tan, estrategista do Société Générale, disse que a notícia de que a Itália está cortando sua meta de déficit está sustentando o euro, já que ajudará a aliviar uma disputa com autoridades europeias em Bruxelas.

Embora a expectativa seja de que o BCE anuncie formalmente o fim de seu amplo programa de estímulo na reunião de política monetária nesta quinta-feira, a medida será moderada pela
provável demonstração pelo banco central de cautela sobre as perspectivas para a economia.

Tan prevê que o euro permanecerá em um intervalo apertado ante o dólar até o início de 2019. “O euro sobre o dólar tem estado preso em uma faixa. Há fortes correntes cruzadas na macroeconomia. Por um lado, o crescimento dos EUA está desacelerando. Por outro lado, temos uma situação em que o risco político europeu permanece grande e um BCE cauteloso”, afirmou ele, referindo-se aos riscos em torno do Brexit, da Itália e dos protestos na França.

O euro subia 0,2 por cento, para 1,1394 dólar. A moeda única tem sido negociada em um intervalo de 1,16 e 1,12 dólar desde agosto.

Os investidores esperam descobrir se o BCE começará a elevar as taxas de juros antes que o mandato do presidente do BCE, Mario Draghi, termine em outubro do próximo ano. O dólar sofreu nas últimas semanas depois de um rali de oito meses, com os investidores reduzindo suas expectativas de mais aperto monetário pelo Federal Reserve em 2019 e com
sinais de um alívio no conflito comercial entre os EUA e a China.

Contra uma cesta de seus rivais, o índice do dólar caía 0,1 por cento, para 96,945.

(Reuters)