BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Embaixador da Itália na República Democrática do Congo morre em ataque a comboio das Nações Unidas

22 de fevereiro de 2021 - Por Comunità Italiana
Embaixador da Itália na República Democrática do Congo morre em ataque a comboio das Nações Unidas

Attanasio morreu enquanto visitava a região leste do país em uma missão do Programa Mundial de Alimentos. O embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello, lamentou o ataque: “Attanasio e o carabiniere Vittorio Iacovacci morreram em nobre serviço à nação. O nosso é um trabalho cheio de riscos”

O embaixador da Itália em Kinshasa, Luca Attanasio, morreu, nesta segunda-feira (22), depois de ser atingido por tiros em um ataque durante uma visita à região de Goma, no Leste da República Democrática do Congo (RDC). Além de Attanasio, que estava no posto desde 2017, morreram seu segurança, Vittorio Iacovacci, e um motorista congolês do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), cujo nome não foi divulgado.

O embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello, lamentou a morte de seu homólogo. “O embaixador Luca era um jovem sério e brilhante. Attanasio e o carabiniere Vittorio Iacovacci morreram em nobre serviço à nação. O nosso é um trabalho cheio de riscos”, disse Azzarello

O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, também lamentou, em uma rede social, a morte de Attanasio e do agente de segurança, de origem italiana, que cuidava do comboio.

“Não vamos nos esquecer da importância daqueles que trabalham pelo nosso país no exterior”, disse Speranza.

O ministro italiano das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, que estava em Bruxelas, anunciou o retorno imediato a Roma para acompanhar o caso. Di Maio ressaltou que as circunstâncias do “brutal ataque” ainda “não são claras”, mas que “nenhum esforço será poupado para por luz sobre o que ocorreu”. “Hoje o Estado chora a perda de dois filhos exemplares e se aproxima às famílias”, disse o chanceler italiano.  

O embaixador e o soldado estavam viajando em um comboio da Monusco, a Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo. Attanasio acompanhava uma visita do Programa Mundial de Alimentos.

O ataque ocorreu por volta das 10h (5h no horário de Brasília) em uma área ocupada por diversos grupos armados. A região de Goma, próxima à fronteira com Ruanda e Uganda, é considerada de alto risco para a atuação de grupos humanitários e de direitos humanos. Por isso, a Monusco atua fortemente na área.

Segundo o que disse uma fonte diplomática à agência de notícias ‘Afp’ o embaixador foi levado gravemente “ferido por um tiro no abdômen” para um hospital em Goma. “As Forças Armadas congolesas estão na região para encontrar os criminosos”, anunciou o Exército do país.

A governadora da província de Kivu do Norte, Carly Nzanzu Kasivita, disse à agência ‘Reuters’ que os agressores pararam o comboio disparando tiros de alerta. Eles mataram o motorista e estavam levando os outros para a floresta quando os guardas locais abriram fogo. “Os agressores mataram o guarda-costas e o embaixador também morreu”, disse Nzanzu.

A ministra das Relações Exteriores do Congo, Marie Ntumba Nzeza, prometeu ao governo italiano uma resposta para o “terrível assassinato”. O PMA afirmou que a delegação iria visitar um programa de alimentação escolar em Rutshuru e que a estrada já havia sido liberada para viagens sem escoltas de segurança.

A província de Kivu do Norte – onde fica Goma, cidade em que o comboio foi atacado – é cenário de violentos embates com grupos armados há mais de 25 anos. A região recebeu milhares de milicianos da etnia hutu acusados de participação no genocídio de pessoas do grupo tutsi em Ruanda, em 1994. Perto do local do ataque estão os feudos dos grupos armados Rebelião Hutu de Ruanda e das milícias congolesas Hutu Nyatura. Rebeldes congoleses do grupo M-23 também estão na área, de acordo com um especialista do barômetro de segurança de Kivu.

A região abriga o parque nacional de Virginia, uma joia turística ameaçada por conflitos entre os grupos armados que disputam o controle de suas riquezas naturais.

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 8406
            [name] => Embaixador da Itália na República Democrata do Congo
            [slug] => embaixador-da-italia-na-republica-democrata-do-congo
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 8406
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 1
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 8405
            [name] => Luca Attanasio
            [slug] => luca-attanasio
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 8405
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 6
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Você acredita que teremos um mundo melhor após o baque da pandemia de Covid?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 14h20
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.