Wilson Witzel disse que Giniton Lages acumulou muitas funções e ‘está cansado’, mas não será exonerado do cargo. Novo nome será escolhido pelo novo secretário da Polícia Civil

O governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC) afirmou, na manhã desta quarta-feira (12), que o delegado Giniton Lages — responsável pelas investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes — vai deixar a função para estudar na Itália.

O investigador não será exonerado do cargo e vai ficar quatro meses estudando no exterior, segundo o governador. “O delegado Giniton não está sendo afastado de nada”.

Witzel disse que convidou o delegado a fazer um intercâmbio com a polícia da Itália após acumular muitas funções durante as investigações e que, por isso, estaria “cansado”.

“Estamos com vários intercâmbios para fazer. Como ele [Giniton] está com a experiência adquirida e nós estamos com o intercâmbio com a Itália exatamente para estudar máfia, movimentos criminosos, ele vai fazer essa troca de experiência com a polícia italiana. Ontem fiz o convite a ele, se ele poderia ser esse elemento de ligação”, disse Witzel.

O governador explicou que o delegado “acumulou muita informação” até o momento, mas que ele “encerrou uma fase”. Outra autoridade policial, prosseguiu, deverá assumir a segunda fase da investigação: a possível descoberta da “suposta existência de um mandante do crime”.

Para Witzel, não há problemas em substituir Giniton na investigação do caso já que “o conhecimento da investigação foi compartilhado com outros delegados”. (informações do G1)