Na última terça-feira (30), foi assinado na Embaixada da Itália em Brasília um memorando de entendimento para o financiamento das atividades previstas no artigo 2 do Acordo de Cooperação Científica entre Itália e Brasil, de fevereiro de 1997.

Estiveram presentes o embaixador, Antonio Bernardini, o presidente do Conselho Nacional de Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Evaldo Ferreira Vilela, o chefe da divisão de promoção tecnológica do Itamaraty, Luis Fernando Machado, e a diretora do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Maria Zaira Turchi.

Segundo a Embaixada, a assinatura do Memorando de Entendimento constitui o primeiro passo na seleção de projetos de pesquisa que serão cofinanciados pelo Ministério das Relações Exteriores e Cooperação Internacional e pelas Fundações Estaduais (FAPs). Os métodos de publicidade dos fundos e a seleção serão definidos ainda através de um anúncio específico em andamento.

O Memorando tem duração de três anos e pretende reativar os mecanismos de cooperação intergovernamental previstos no Acordo de 1997 para fortalecer a já frutuosa colaboração em matéria científica e tecnológica entre a Itália e o Brasil, especialmente naqueles setores estratégicos de interesse mútuo e prioritário – como aeroespacial, energia renovável, matérias-primas, meio ambiente e agricultura.