O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, se reuniu com as delegações do populista Movimento 5 Estrelas (M5S) e do centro-esquerdista Partido Democrático (PD) para definir os últimos detalhes da nova equipe de governo. No poder desde 1º de junho de 2018, o premier tomará posse para seu segundo mandato nesta quinta (5), às 10h da manhã (horário local), ao lado de seus novos ministros. Esse será o 66º governo em 73 anos de República na Itália. 

Conte anunciou o novo gabinete, que terá como ministro das Relações Exteriores o líder do M5S, Luigi Di Maio. O Ministério do Interior será ocupado por Luciana Lamorgese (independente); enquanto o de Justiça será liderado por Alfonso Bonafede (M5S). Lorenzo Guerini (PD) ficará a cargo do Ministério da Defesa; já o da Economia terá como chefe Roberto Gualtieri (PD).

Historicamente adversários, os dois partidos chegaram a um acordo para formar uma aliança e evitar a realização de eleições antecipadas na Itália, o que poderia dar o comando do governo ao ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini, da ultranacionalista Liga.

A delegação do M5S é formada pelo senador Stefano Patuanelli e pelo deputado Vincenzo Spadafora, enquanto a equipe do PD é encabeçada pelos deputados Dario Franceschini, ex-ministro dos Bens Culturais, e Andrea Orlando, ex-ministro da Justiça.

PD e M5S concordaram em abolir os cargos de vice-primeiros-ministros, hoje ocupados por Salvini e pelo líder do partido populista, Luigi Di Maio.

Crise

A crise política na Itália começou após Salvini ter rompido a aliança de ocasião com o M5S, com o objetivo de capitalizar a liderança da Liga nas pesquisas e chegar ao cargo de primeiro-ministro.

O movimento antissistema, no entanto, abriu negociações com seu maior adversário político, o centro-esquerdista PD, e frustrou, ao menos por enquanto, o desejo de Salvini de realizar novas eleições.

Confira quem são os novos ministros da Itália:

  • Luciana Lamorgese (Interior)
  • Alfonso Bonafede (Justiça)
  • Luigi Di Maio (Relações Exteriores)
  • Lorenzo Guerini (Defesa)
  • Nunzia Catalfo (Trabalho)
  • Lorenzo Fioramonti (Educação)
  • Dario Franceschini (Bens Culturais e Turismo)
  • Roberto Gualtieri (Economia)
  • Stefano Patuanelli (Desenvolvimento Econômico)
  • Teresa Bellanova (Bens Agrícolas)
  • Sergio Costa (Meio Ambiente)
  • Francesco Boccia (Assuntos Regionais)
  • Paola De Micheli (Infraestrutura e Transportes)
  • Giuseppe Provenzano (Sul)
  • Paola Pisano (Inovação Tecnológica)
  • Fabiana Dadone (Administração Pública)
  • Elena Bonetti (Igualdade)
  • Vincenzo D’Incà (Relações com o Parlamento)
  • Enzo Amendola (Assuntos Europeus)
  • Roberto Speranza (Saúde)
  • Vincenzo Spadafora (Jovens e Esporte)