O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, recebeu na terça-feira (1), no Palazzo Chigi, sede do governo, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, na tentativa de fortalecer as relações comerciais entre os dois países

“No nível bilateral, foi acordada a oportunidade de fortalecer ainda mais as já excelentes relações econômicas e comerciais, com referência também às oportunidades de crescimento oferecidas pela cooperação industrial e à questão dos direitos”, anunciou o Palazzo Chigi, em nota.   

Mais cedo, o americano também se reuniu com o presidente italiano, Sergio Mattarella, em meio à uma pequena manifestação organizada por agricultores italianos contra a ameaça de Washington de impor tarifas sobre alguns alimentos italianos em retaliação aos subsídios da União Europeia (UE) ao setor aeronáutico.

No início deste ano, a Organização Mundial do Comércio (OMC) determinou que a Airbus havia recebido subsídios ilegais do governo, dando aos Estados Unidos uma luz verde para anunciar tarifas. Com isso, o governo Trump elaborou uma lista de importações da UE no valor de US$25 bilhões, incluindo vinho, queijo e bens de luxo, além de produtos italianos, como parmesão e azeite.

A polêmica provocou a ira dos agricultores italianos que dizem que a medida é injusta porque a Itália não faz parte do consórcio da Airbus. Além disso, eles dizem que as possíveis taxas poderiam devastar o mercado de exportação italiana, tendo em vista que, segundo a Confederação Nacional dos Cultivadores Diretos (Coldiretti), estima-se que as vendas de alimentos para os Estados Unidos valem cerca de 4,5 bilhões de euros por ano.   

Hoje, Mattarella aproveitou o encontro com Pompeo para pedir um diálogo para chegar a um acordo entre os EUA e a UE. Já Conte, também destacou que a aplicação dos impostos seria um golpe para a Itália, na medida em que as duas economias estão integradas e no momento a economia italiana está ganhando um fôlego.   

Entretanto, Pompeo deixou claro que não é responsável direto pelo dossiê, mas garantiu que entende as preocupações do país europeu. Durante sua visita de quatro dias, Pompeo ainda tem compromisso marcado com o ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, nesta quarta-feira (2), no âmbito de uma missão na Europa que também o levará à Macedônia, Montenegro e Grécia.

Além disso, ele será recebido, em audiência privada, pelo Papa Francisco e verá o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, e o secretário de Relações com os Estados, Paul Richard Gallagher, na quinta-feira (3).   

A visita de Pompeo à Itália terminará com uma passagem por Abruzzo, terra natal de sua família. Seus bisavós emigraram para os Estados Unidos de Caramanico Terme, na província de Pescara.   

Líbia

Entre os temas debatidos na reunião com Conte, a crise na Líbia também entrou em pauta. Segundo a nota do governo italiano, “foi registrada uma convergência total sobre a necessidade de trabalhar em conjunto para identificar uma solução política o mais rápido possível, reconhecendo a insustentabilidade da opção militar”. (Com informações da ANSA)