A Presidência da República da Itália anunciou nessa última quinta-feira (29) o calendário das consultas para a formação do novo governo, que começarão no dia 4 de abril

A partir das 10h30 (horário local), Sergio Mattarella receberá no Palácio do Quirinale, em Roma, os presidentes do Senado, Maria Elisabetta Casellati, e da Câmara dos Deputados, Roberto Fico, e os líderes de todos os grupos parlamentares.

O primeiro dia será dedicado aos grupos “mistos”, que reúnem as legendas menores, e às siglas que representam as minorias linguísticas da Itália. No entanto, os principais compromissos serão no dia 5, quando o presidente receberá, nesta ordem, os líderes do Partido Democrático (PD), do Força Itália (FI), da Liga e do Movimento 5 Estrelas (M5S).

Próxima etapa

Concluída essa etapa, Mattarella definirá o encarregado de formar um novo governo, que será aquele que demonstrar ser capaz de construir uma maioria parlamentar – até o momento, ninguém possui esse requisito.

Nas últimas semanas, especulou-se sobre um possível gabinete Liga-M5S, mas ambos, nas figuras de Matteo Salvini e Luigi Di Maio, pleiteiam a cadeira de primeiro-ministro. Nesta quinta, o líder do M5S mandou um recado à Liga, de orientação ultranacionalista, e afirmou que conseguiria encontrar apoio inclusive à esquerda.

Já Salvini, líder da coalizão de direita, disse que não será “subalterno” de ninguém. (ANSA)