Sete anos afastado da elite do futebol italiano, o Brescia garantiu seu retorno para a Série A nesta temporada

Não só conseguiu o acesso de forma antecipada, como também o título da Série B. O jogo contra o Benevento neste sábado (11), fora de casa, será apenas para cumprir tabela. Portanto, momento de comemoração e euforia no tradicional clube, que em seu elenco conta com o lateral-esquerdo brasileiro Felipe Curcio e já teve nomes galácticos.

Descendente de italianos, Felipe Curcio chegou ao futebol italiano em 2015 para defender o Foggia. Rodou por algumas equipes pouco conhecidas até desembarcar em Brescia em 2018. A distância da Série A deixou o Brescia longe dos holofotes, mas nada que não fizesse o brasileiro saber onde estava colocando os pés: num clube que já contou com Guardiola, Pirlo e Roberto Baggio.

– São jogadores que ficaram na memória, o torcedor lembra. Mas para eles, o Baggio é o maior ídolo, como se fosse o Maradona para o Napoli. É um time que merece a Série A – disse Felipe Curcio.

Camisa 10 só em fotos

Clube tradicional, mas com conquistas de pouca expressão na Itália, o Brescia carrega algumas curiosidades. Desde a aposentadoria de Roberto Baggio, em 2004, o clube aposentou a camisa 10. O craque italiano chegou ao time na temporada 2000/01, sendo protagonista de uma campanha que saiu da luta contra a degola para uma vaga na antiga Copa da Uefa. Felipe Curcio sabia da mística da camisa 10, mas não sabia de outro número que também foi aposentado:

– Sim, sabia. Ninguém usa a camisa 10 aqui. Mas também não usam a 17, nesse caso o presidente não quer. Ele fala que dá azar.

Pirlo e o “novo Pirlo”

Além de Baggio, gigantes do meio de campo vestiram as cores do Brescia. Casos do espanhol Pep Guardiola, que teve duas passagens pelo clube, e do meia Pirlo, revelado por lá e que conquistou na sua carreira, entre outros títulos, a Copa do Mundo de 2006. Se o craque que passou também por Internazionale, Milan e Juventus jamais é esquecido, sua “sequência” está ganhando cada vez mais destaque. Trata-se de Sandro Tonali, meia de apenas 19 anos que na Itália é chamado de o novo Pirlo:

– Posso dizer que saiu meio que o novo Pirlo, que é o Tonali. Ele é da escola do Brescia, por isso é considerado um novo Pirlo. Um menino que já vale € 30 milhões (cerca de R$ 132 milhões). Times como Manchester City, Internazionale e Juventus já estão atrás dele. Começou a jogar comigo, quando cheguei, e não saiu mais.

Volta para a Série A

Longe da elite desde 2011, o Brescia volta para a Primeira Divisão completamente dominada pela Juventus, que venceu oito títulos seguidos. Hoje em dia, ameaçar a supremacia da Velha Senhora é algo improvável na Itália, quanto mais para uma equipe que vem da Série B. Então, a proposta do Brescia é se manter na principal divisão, mas com a chegada de reforços:


– Não esperavam nossa campanha, não estávamos cotados para vencer. Outras equipes têm folha salarial maior do que a nossa, mas foi mérito do grupo que foi formado. Ganhamos quatro ou cinco jogos faltando três minutos, é uma equipe que corre até o fim. Claro que a gente precisa de reforços, é uma coisa inevitável. A Série A é um campeonato muito forte, muito diferente da Série B. É muito forte fisicamente, taticamente.

(GE)