A cidade de Pontida, na Lombardia, foi palco neste domingo (15) de uma manifestação do partido nacionalista Liga Norte, convocada pelo ex-ministro do Interior Matteo Salvini.

De acordo com a Liga, mais de 80 mil pessoas participaram do ato, com slogans como “a força de ser livre” e bandeiras da Itália. “Esse é um espetáculo inacreditável, é a Itália que vencerá”, exaltou Salvini.

Adotando um tom de comício eleitoral, Salvini fez críticas à coalizão formada pelo Movimento 5 Estrelas (M5S) e pelo Partido Democrático (PD).

“Eles não podem fugir de maneira infinita. Antes ou depois haverá eleições”, disse Salvini, referindo-se à aliança do M5S com o PD para evitar que a Itália convocasse eleições antecipadas.

Salvini também anunciou que a Liga, na oposição, pode solicitar um referendo caso o novo governo derrube o decreto de segurança aprovado quando ele era ministro do Interior e o qual restringia o acesso de imigrantes à Itália.

“O problema é que a Itália voltará a ser um campo de refugiados. Veremos isso nas próximas semanas. As ONGs festejam. Se derrubarem o decreto de segurança, será uma nova ocasião para um referendo”, anunciou.

O protesto, porém, foi marcado por episódios de violência. O jornalista italiano Gad Lerner foi alvo de insultos pelos partidários da Liga Norte e um repórter cinematográfico do jornal “La Repubblica” chegou a ser agredido. (Ansa)