Empresários, executivos e representantes da comunidade ítalo-brasileira estiveram reunidos no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, para participar da cerimônia que marcou o décimo aniversário da SACE SIMEST no Brasil. A empresa italiana opera como agência de crédito à exportação e movimenta um portfólio de negócios de aproximadamente cinco bilhões de reais no país. As apresentações dos executivos da SACE sobre os projetos realizados no período reforçaram um sentimento de confiança no país e contribuíram para o clima de otimismo presente no evento. A confiança na agenda liberal do novo governo brasileiro sustenta as previsões do grupo, que atua nos setores de financiamento, seguros, óleo e gás, metal, energia, têxtil, cerâmica, ferrovias e infraestrutura, e prevê a expansão do comércio e dos investimentos entre Brasil e Itália.

O presidente Beniamino Quintieri e a diretoria vieram ao Brasil para participar das comemorações pelos 10 anos. Quintieri destacou a liderança do Brasil na região e o foco da empresa nas relações comerciais com o Brasil.

Pauline Sebok, diretora do escritório da SACE em SP Foto: ©ClaudioCammarota

— Nesse período em que estamos no país, passamos por momentos de prosperidade e também por períodos mais críticos na economia. Reforço, no entanto, nossa disposição em manter uma parceria sólida com o Brasil. Estamos confiantes na retomada do crescimento.   

O CEO Alessandro Decio, que também veio de Roma para os eventos de aniversário, ressaltou o papel do grupo no sentido de intensificar as relações bilaterais.

— A Itália tem um parque industrial forte com tecnologia de ponta e vamos atrair empresas que possam atender as demandas que existem no mercado brasileiro. O Brasil continuará demandando serviços na área de Infraestrutura e com a tendência de estabilização da economia, o mercado deve abrir novas frentes e negócio. As reformas precisam ser feitas pelo governo para que o país continue sendo o driver e o líder na sua região.

A SACE SIMEST anunciou que pretende diversificar seu portfólio de investimentos e avalia a possibilidade de atuar nas áreas de saúde e bens de consumo. Em 2019, a empresa negocia cerca 2,1 bilhões de reais em novos projetos de apoio ao comércio e investimentos em setores como o ferroviário e de infraestrutura.

Privatizações e concessões em infraestrutura são esperadas pelas empresas italianas


O embaixador italiano Antonio Bernadini ressaltou o foco da agência na área de infraestrutura no Brasil e acredita que, a partir de 2019, os investimentos do grupo deverão aumentar.

Embaixador italiano Antonio Bernadini Foto: ©ClaudioCammarota

— Contamos com o apoio financeiro da SACE SIMEST para estimular as empresas italianas nesse período de privatizações, Parcerias, Público Privadas (PPP’s) e concessões anunciadas pelo novo governo brasileiro. Pelas sinalizações do ministro da economia Paulo Guedes, o país vai investir em infraestrutura, e os desafios que enfrentará certamente representam oportunidades de negócios para os dois países — ressaltou.

Para Bernadini, o trabalho permitiu que as empresas da Itália contassem com o apoio financeiro que viabilizasse a sua operação no mercado internacional, “mais essencial ainda para as pequenas e médias empresas”.

A chefe da SACE em São Paulo, Pauline Sebok, e a chefe de negócios internacionais Michal Ron também participaram.

— O grupo que sempre esteve presente no país e investiu também nos momentos mais críticos de recessão se preparou para ter uma presença ainda mais forte nessa nova fase do país — avaliou Pauline. 

A celebração pelos 10 anos incluiu um business matching no dia seguinte à festa, que contou com a presença de representantes de 50 empresas. O Brasil é um mercado estratégico para a SACE SIMEST, que consolidou um portfólio de negócios no país de 1,2 bilhão de euros — valor que representa 27% de toda a carteira latino-americana. O grupo movimentou cinco bilhões de euros na América do Sul desde 2008.

Uma história contada em números

Transações na América Latina: 1500
Faturamento na América Latina: 5 bilhões de euros  
Transações no Brasil: 800
Empresas italianas com as quais a SACE viabilizou negócios no Brasil: 67
Principais clientes: Petrobras, Votorantim, JBS, Braskem, Vale, Vicunha, Fitesa, Azul e Nexa