Setor de comida de rua na Itália cresceu 48,8% entre 2014 e 2019

A paixão pela comida de rua está cada vez mais presente nas cidades italianas, principalmente em Roma e Milão, e tem impulsionado o crescimento econômico do setor, revelaram dados coletados pela Câmara de Comércio de Milão, Monza e Brianza e Lodi.

De acordo com o relatório divulgado na sexta-feira (2), 2.915 novos negócios de street food foram abertos no país entre 2014 e 2019, um aumento de 48,8%. Ao todo, o setor garantiu um faturamento de 19 milhões de euros, sendo que mais de 3 milhões de euros foram arrecadados nas regiões da Campânia e Emília-Romagna, enquanto que mais de 2 milhões de euros foram em Lazio, Sicília e Lombardia.

O estudo também aponta que Roma e Milão são as cidades que lideram a expansão do street food, com 199 e 194 atividades respectivamente. Milão, no entanto, aparece na liderança do ranking em decorrência do ritmo de crescimento do setor, com a criação de 101 empresas a mais entre 2014 e 2019, seguido por Roma. Na terceira posição está a cidade de Lecce, com 133 negócios no total. Completam a lista Turim, Nápoles, Catânia e Bari.

Os maiores resultados de crescimento em cinco anos ficaram por conta dos municípios: Sondrio, Savona, Trento, Reggio Calabria e Macerata, todos acima de 150%. Por fim, os dados indicam que um a cada quatro empreendedores são mulheres(28%) e jovem (21%), enquanto que os nascidos no exterior são 12%. As empresas lideradas por mulheres podem ser encontradas em Crotone (75%), Ravenna (57%) e Benevento (56%). Já as comandadas por jovens ficam em Terni (50%) e Bari (47%), enquanto Prato (57%) e Massa-Carrara ( 50%) são os territórios onde os empresários “estrangeiros” são mais ativos no setor.

(com informações da ANSA)