Centenas de pessoas participaram nesta segunda-feira (29) em Somma Vesuviana, próximo de Nápoles (sul), do funeral do policial Mario Cerciello Rega, 35 anos, assassinado em Roma entre quinta e sexta-feira por turistas americanos

Além dos populares, inúmeros membros do governo participaram do funeral, incluindo o ministro do Interior, Matteo Salvini, e o ministro do Desenvolvimento e Trabalho, Luigi Di Maio, os dois líderes da coalizão no poder na Itália.

O prefeito de Somma Vesuviana, localidade natal do policial, proclamou esta segunda-feira dia de luto na cidade de 35.000 habitantes.

A investigação do crime continua com muitas perguntas não respondidas.

Na noite de sábado, uma juíza decretou a prisão de Elder Finnegan Lee e Gabriel Christian Natale Hjorth, os dois turistas americanos de 19 anos acusados de homicídio e tentativa de extorsão.

Segundo a polícia, um dos dois confessou ser o autor das facadas que mataram o policial, que tinha acabado de voltar de sua lua de mel, na noite de quinta.

Os dois americanos foram presos na sexta-feira à tarde no hotel de quatro estrelas onde estavam hospedados.

Suas mala estavam prontas e eles iam tentar voltar aos Estados Unidos naquela noite.

De acordo com o comunicado da polícia, ambos prestaram depoimento na noite de sexta-feira (26) e confirmaram que tinham roubado a mochila de um italiano e, para devolvê-la, estavam pedindo 100 euros e e cocaína em troca.

Segundo o relato, o policial italiano avisou as forças de segurança e, quando a polícia tentou deter os americanos, um deles sacou a faca e cometeu o crime.

Mas, segundo a imprensa italiana, a vítima do roubo era um traficante, acusado pelos turistas de ter vendido aspirina em pó em vez de cocaína.

A arma do crime, a faca, foi encontrada escondida no forro do teto do quarto de hotel.