O capitão do navio MSC Opera, que se envolveu em um acidente no domingo (02) no porto de Veneza, declarou ter tomado “todas as medidas possíveis” para evitar o acidente.

A declaração tornou-se pública ao ser exposta a gravação de uma conversa entre o capitão e a administração do porto de Veneza.

No áudio, o capitão alerta ter lançado as duas âncoras do navio, mas sem sucesso, pelo fato de o motor da embarcação estar “bloqueado”.

A falha foi percebida ao ser iniciada a manobra para atracar no cais. Dois rebocadores foram escalados para acompanhar a embarcação e tentar conter sua velocidade.

“Colocamos os rebocadores em posição para ampliar a distância [entre o barco e o convés]”, diz o capitão, acrescentando que, em certos pontos, os cabos ligados aos rebocadores se romperam.

O chefe da associação dos rebocadores confirmou que os motores da embarcação haviam falhado e que o capitão informou o incidente imediatamente.

“O motor estava travado e a propulsão ligada, pois a velocidade continuava a aumentar”, declarou.

Vídeos que circularam pela internet mostram o momento que a embarcação de 13 andares avançou contra o cais no canal de Giudecca atingindo outro navio. No momento do acidente é possível ouvir a buzina do MSC Opera, alertando os turistas que se encontravam no local. Ao todo, quatro pessoas da embarcação com a qual o navio colidiu tiveram ferimentos leves.

O MSC Opera já havia apresentado problemas técnicos antes, durante uma travessia pelo Báltico. Ele possui capacidade para 2.500 passageiros, um teatro, salão de dança e um parque aquático.

Administrador do Porto de Veneza é convocado a se explicar

O presidente da Autoridade do Sistema Portuário do Mar Adriático Setentrional, Pino Musolino, foi convocado com urgência para uma reunião no Ministério dos Transportes e da Infraestrutura da Itália, em Roma, para explicar o acidente.

Ele se reunirá com o ministro italiano Danilo Toninelli, que vem sendo criticado por não ter dado aval a um projeto que pretende tirar a circulação de navios de grande porte nos canais internos de Veneza, como Giudecca.

O acidente aconteceu em meio a uma série de discussões que pretendem avaliar o boom turístico em Veneza — uma das cidades mais visitadas do mundo.

(Com informações da BBC, ANSA e Uol)