O governo do presidente Jair Bolsonaro indicará o diplomata Hélio Ramos, atualmente assessor do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para o posto de embaixador do Brasil em Roma. Hélio Ramos substituirá o ex-chanceler do governo Dilma Rousseff (PT) Antonio Patriota, que será transferido para a embaixada no Egito.

Ramos chegou a ser cotado para assumir o Ministério de Relações Exteriores após a eleição de Bolsonaro. Em um artigo em outubro publicado pelo jornal Correio Braziliense, em coautoria com o embaixador Marcelo Dantas, Ramos adotou discurso que agradou ao entorno de Bolsonaro.

Os autores defenderam a importância de uma “equipe coesa e fiel” e argumentaram que, em questões delicadas como política ambiental, é necessário proteger o país de “ingerência externa”. Ramos já trabalhou na Embaixada do Brasil em Roma, no início da carreira, e fala italiano. Em sua trajetória no Itamaraty, serviu como cônsul-geral em Miami e, durante o governo de FHC, chegou a ocupar interinamente o Ministério de Minas e Energia.