BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Início » Bolsas sobem com atenção ao Fed e Hang Seng salta 5% com rumor de alívio dos lockdowns na China 

Bolsas sobem com atenção ao Fed e Hang Seng salta 5% com rumor de alívio dos lockdowns na China 

01 de novembro de 2022 - Por Comunità Italiana
Bolsas sobem com atenção ao Fed e Hang Seng salta 5% com rumor de alívio dos lockdowns na China 

Por aqui, atenção também a dados da produção industrial e para o noticiário político na semana após eleição

Os índices futuros de Nova York e bolsas da Europa operam em alta, mesma direção de fechamento dos mercados asiáticos nesta terça-feira (1), com investidores globais de olho na reunião de política do Federal Reserve (Fed), que começa hoje.

Mais de 80% das previsões acompanhadas pelo monitor de juros, do CME Group, apontam para mais uma alta de 75 pontos-base. Assim, os juros americanos passariam a uma faixa entre 3,7% e 4% ao ano. Além disso, participantes do mercado aguardam sinalizações dos membros do Fed em busca de pistas sobre a continuidade do ciclo de aperto monetário.

A temporada de balanços americana segue a todo vapor, com resultados da Uber, Pfizer, Fox e Airbnb.

Investidores também estarão atentos aos dados de abertura de empregos e gastos com construção para setembro, bem como o relatório de manufatura ISM de outubro.

As ações em Hong Kong subiram mais de 5% e lideraram os ganhos da região Ásia-Pacífico,após especulações sobre negociações de relaxamento das restrições para conter a Covid-19 ocorrendo na China

Por aqui, investidores aguardam pela divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) em busca de mais sinalizações sobre o rumo dos juros por aqui.

Do lado corporativo, Grupo SBF e Vulcabras divulgam resultados, após fechamento dos mercados.

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em alta no primeiro pregão de novembro, apagando parte das perdas da sessão anterior, antes da decisão do Fed sobre juros na próxima quarta-feira (1).

O Comitê de Mercado Aberto do Fed (Fomc, na sigla em inglês) começa a se reunir hoje e deve dar continuidade ao ciclo de aperto monetário.

O Dow Jones registrou em outubro o melhor mês desde 1976, terminando em +13,95%, impulsionado por fortes resultados de empresas, como Caterpillar e McDonald’s. O S&P 500 e o Nasdaq Composite subiram cerca de 8% e 3,9%, respectivamente.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +0,57%
  • S&P 500 Futuro (EUA), +0,82%
  • Nasdaq Futuro (EUA), +0,98%

Ásia

As ações em Hong Kong subiram mais de 5% e lideraram os ganhos da região Ásia-Pacífico depois de encerrar o mês de outubro com uma perda de mais de 14%, pairando em torno dos níveis mais baixos desde abril de 2009.

O movimento de alta acontece após especulações sobre negociações de relaxamento das restrições para conter a Covid-19 ocorrendo na China, com Pequim preparando o relaxamento de sua rigorosa política de lockdowns no começo do ano que vem.

O Reserve Bank of Australia elevou as taxas de juros em 25 pontos base pela segunda vez consecutiva, em linha com as expectativas.

  • Shanghai SE (China), +2,62%
  • Nikkei (Japão), +0,33%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +5,23%
  • Kospi (Coreia do Sul), +1,81%

Europa

Os mercados europeus operam também operam em alta, com agentes do mercado focados na decisão de juros nos EUA na próxima quarta-feira (2).

As ações da região fecharam em alta na segunda-feira, apesar da inflação de preços ao consumidor da zona do Euro subir para um recorde em outubro e da desaceleração acentuada do PIB no terceiro trimestre.

  • FTSE 100 (Reino Unido), +1,28%
  • DAX (Alemanha), +1,09%
  • CAC 40 (França), +1,60%
  • FTSE MIB (Itália), +1,68%

Commodities

As cotações do petróleo operam em alta, com o enfraquecimento do dólar compensando as preocupações sobre a demanda.

A moeda americana mais fraca torna o petróleo mais barato para os detentores de outras moedas e geralmente reflete em um maior apetite dos investidores por risco.

Os preços dos contratos de minério de ferro também sobem, revertendo partes das perdas acumuladas nos últimos dias. Além dos rumores de um possível relaxamento das restrições para a conter a Covid-19 na China, a alta é atribuída a um suporte técnico após uma forte perda mensal em outubro.

  • Petróleo WTI, +1,34%, a US$ 87,69 o barril
  • Petróleo Brent, +1,37%, a US$ 94,08 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 2,45%, a 628,00 iuanes, o equivalente a US$ 86,33

Bitcoin

  • Bitcoin, +0,88% a US$ 20.575,00 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

A agenda desta terça-feira (1) tem como destaque o relatório de ofertas de empregos JOLTS, com consenso de se manter em 10 milhões. Investidores também aguardam pelos dados de construção e PMI da indústria.

Na agenda local, está prevista a publicação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). O Banco central manteve a taxa básica de juros, a Selic, em 13,75% ao ano, na última quarta-feira, em decisão unânime. No comunicado, a autoridade destacou a sensibilidade dos mercados a questões fiscais e fez previsões um pouco mais altas para a inflação.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também vai divulgar a produção industrial do mês de setembro. O Itaú prevê uma queda mensal de 0,3% e uma alta anual de 1%.

Brasil

8h: Ata do Copom

8h: Confiança empresarial

9h: Produção industrial de setembro, com projeção de queda de 0,6% frente agosto e alta anual de 0,7%

10h: PMI

10h30: Leilão de títulos do Tesouro Nacional

15h: Balança comercial

EUA

10h45: PMI industrial

11h: Gastos com construção

11h: Ofertas de emprego JOLTs

11h: PMI ISM industrial

11h: Índice ISM de emprego

17h30: Estoques de petróleo API

Japão

20h50: Ata da reunião de política monetária do Banco do Japão

3. Noticiário econômico

Gasolina sobe nos postos pela 3ª semana, mesmo sem reajuste da Petrobras, aponta ANP

A gasolina continua subindo de preço nos postos de abastecimento, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), apesar da Petrobras manter o preço do combustível congelado há 59 dias. Na semana de 23 a 29 de outubro, a gasolina teve alta de 0,6%, com preço médio de R$ 4,91 por litro, ainda se mantendo abaixo dos R$ 5.

O preço máximo de revenda encontrado pela ANP foi de R$ 7,34 o litro e o mais baixo, de R$ 3,49 o litro.

Já o preço do diesel S10 caiu 0,6%, para média de R$ 6,68 o litro, com o valor mais alto atingindo R$ 8,49 e o mais baixo R$ 5,96 o litro.

4. Noticiário político

Alexandre de Moraes determina o desbloqueio de rodovias federais; STF referenda decisão 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou ontem o total desbloqueio das rodovias federais que registraram paralisações de caminhoneiros.

Pela decisão, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e as policias militares estaduais deverão cumprir a decisão e garantir total trafegabilidade do trânsito de veículos.

Para Moraes, as paralisações “desvirtuam o direito constitucional de reunião”.

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta madrugada maioria para referendar a decisão de Alexandre de Moraes que obriga à desobstrução de rodovias.

Bolsonaro avalia reconhecer a vitória de Lula por escrito

O atual presidente Jair Bolsonaro não pretende contestar o resultado da eleição, segundo aliados que circulam no Palácio do Planalto. A expectativa de ministros é que Bolsonaro escreva uma nota nesta terça. A informação é do jornal Valor Econômico.

Covid

O Brasil registrou na segunda 50 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 688.205 desde o início da pandemia.

Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 70. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +37%.

No total, o país registrou 3.731 novos diagnósticos de Covid-19 em 24 horas, completando 34.870.394 casos conhecidos desde o início da pandemia.

5. Radar Corporativo

CSN (CSNA3)

A Companhia Siderúrgica Nacional CSN (CSNA3registrou lucro líquido de R$ 238 milhões no terceiro trimestre de 2022, queda de 35,5% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Em seu relatório de resultados, a companhia informa que o recuo se deu em função do menor desempenho operacional verificado no período em razão da queda nos preços internacionais, que acabou por compensar as menores despesas financeiras apresentadas no período.

O Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 2,714 bilhões, queda de 37% na comparação com igual intervalo de 2021 e de 17% na comparação com o segundo trimestre deste ano.

Cielo (CIEL3)

A Cielo (CIEL3) registrou lucro líquido recorrente de R$ 421,7 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), cifra 99,9% maior do que a reportada na mesma etapa de 2021, informou a companhia nesta segunda-feira (31). O resultado veio acima do consenso Refinitiv que era de R$ 370,11 milhões.

Conforme a empresa, os resultados foram impulsionados pela sólida melhora nos fundamentos operacionais, com crescimento das receitas e gastos sob controle.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) totalizou R$ 1,006 bilhão no 3T22, um crescimento de 45,2% em relação ao 3T21 e ligeiramente abaixo das projeções do consenso Refinitiv de R$ 1,025 bilhão.

PRIO (PRIO3)

A PRIO (PRIO3) lucrou, de forma líquida, US$ 153,7 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), cifra 542% maior do que a reportada na mesma etapa de 2021.

“O lucro foi impactado fortemente pelo aumento das despesas de depreciação e amortização (efeito não-caixa), devido à maior produção no campo de Frade, que acelera a depreciação das reservas do campo, e pelo imposto de renda, uma vez que este é impactado pelo aumento de receita e consumo de prejuízos fiscais de exercícios anteriores”, explica a companhia.(InfoMoney com Estadão, Reuters e Agência Brasil)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 7925
            [name] => Bolsas de Valores
            [slug] => bolsas-de-valores
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 7925
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 26
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 7936
            [name] => Bolsas Mundiais
            [slug] => bolsas-mundiais
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 7936
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 459
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 9517
            [name] => Mercado Financeiro
            [slug] => mercado-financeiro
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 9517
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 303
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Governo Lula completa um mês. Até o momento acha que está no caminho certo?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 18h32
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.