BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Bolsas mundiais em alta, dados de serviço no Brasil e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

14 de outubro de 2021 - Por Comunità Italiana
Bolsas mundiais em alta, dados de serviço no Brasil e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

A sessão é de alta para as principais bolsas mundiais nesta quinta-feira (14), com os investidores atentos à temporada de resultados do terceiro trimestre em Wall Street e à espera dos dados de preços ao produtor nos EUA.

Na véspera, foi divulgado que a inflação ao consumidor de setembro nos EUA mostrou alta de 5,4% na comparação anual, enquanto a ata da última reunião do Federal Open Market Committee (Fomc) sinalizou que o programa de redução de compra de títulos pelo Federal Reserve poderia começar entre meados de novembro e meados de dezembro.

Por aqui, atenção ainda para os dados de volume do setor de serviços relativo a agosto, com expectativa de alta na comparação mensal em meio à reabertura econômica. Na véspera, a Câmara dos Deputados ainda aprovou o texto principal de projeto que fixa o ICMS incidente sobre os combustíveis.

No mercado de câmbio, o Banco Central faz leilão de swap extra, em oferta de até 20 mil contratos (US$ 1 bilhão). Já no noticiário corporativo, atenção para as prévias operacionais do terceiro trimestre de diversas construtoras.

Confira os destaques da sessão:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos avançam nesta quinta (14) pela manhã, na esteira da divulgação dos resultados do terceiro trimestre e da ata da reunião do Federal Reserve. Na quarta, o Dow Jones ficou estável em 34.377,81 pontos, o S&P avançou 0,3% e o Nasdaq teve alta de 0,7%.

O JPMorgan deu início à temporada de divulgação de resultados de grandes bancos nos Estados Unidos, com bons resultados que superaram as expectativas, impulsionado por US$ 1,5 bilhão por conta de perdas com empréstimos melhores do que o esperado. Apesar disso, os papéis recuaram 2,6%, e as ações de outros bancos também tiveram quedas. Esta quinta é marcada pela divulgação de outros grandes bancos antes da abertura dos mercados: Bank of America, Citigroup, Morgan Stanley e Wells Fargo.

Na quarta à tarde foram divulgadas as minutas da reunião de setembro do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc na sigla em inglês) do Federal Reserve, que indicou que o banco central americano pode iniciar o processo de redução do ritmo de compra de ativos em meados de novembro ou meados de dezembro. Atualmente, o banco central americano vem comprando US$ 120 bilhões mensalmente em títulos.

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam a quinta-feira em altas, em sua maioria. A inflação ao produtor avançou em setembro 10,7% na China, em comparação com o mesmo período do ano anterior, acima da expectativa de alta de 10,5% de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters.

A inflação ao consumidor avançou 0,7% em comparação com o ano anterior, abaixo da expectativa de alta de 0,9%. O governador do Banco Popular da China, Yi Gang, afirmou na quarta que avalia que a inflação é moderada de forma geral.

Europa

As bolsas europeias têm altas, à medida que investidores reagem à divulgação de dados de inflação e rendimentos nos Estados Unidos. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,8%, com desempenho positivo de todos os principais setores e destaque para o de recursos básicos.

O preço do barril de petróleo avança nesta quinta-feira, e o minério de ferro negociado na Bolsa de Dalian recua.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos

*Dow Jones Futuro (EUA), +0,61%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,66%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,75%

Europa

*FTSE 100 (Reino Unido), +0,74%
*Dax (Alemanha), +0,84%
*CAC 40 (França), +0,81%
*FTSE MIB (Itália), +0,9%

Ásia

*Nikkei (Japão), +1,36% (fechado)
*Shanghai SE (China), -0,1% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), (não abriu)
*Kospi (Coreia do Sul), +1,5%

Commodities e Bitcoin

*Petróleo WTI, +1,06%, a US$ 81,27 o barril
*Petróleo Brent, +1,13%, a US$ 84,13 o barril
*Bitcoin, +4,78% a US$ 57.649,84
*Sobre o minério de ferro: **O minério negociado na bolsa de Dalian teve queda de 2,9%, a 736 iuanes, o equivalente a US$ 114,37.
USD/CNY = 6,44

2. Agenda

Europa

7h: Discurso de Frank Elderson, do Banco Central Europeu
7h: Discurso de Silvana Tenreyro, do Comitê de Política Monetária (MPC na sigla em inglês) do Banco da Inglaterra (BoE em inglês)

Brasil

9h: Volume do setor de serviços, relativo a agosto. A expectativa de analistas ouvidos pela Refinitiv é de alta de 0,5% frente ao mês imediatamente anterior, e de 16,3% frente ao mesmo período do ano anterior
Nesta quinta a CCEE divulga dados sobre consumo de energia. Também será divulgado o prisma fiscal

Estados Unidos

9h30: Pedidos iniciais e pedidos contínuos por seguro-desemprego. A expectativa de analistas ouvidos pela Refinitiv é de 319 mil pedidos
9h30: Índice de Preços ao Produtor (IPP), relativo a setembro. A expectativa de analistas ouvidos pela Refinitiv é de avanço de 0,6% frente ao mês anterior e 8,7% frente ao mesmo período do ano anterior
11h: Raphael Bostic, do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc) realiza um discurso
12h: AIE divulga dados semanais sobre estoques de petróleo. A expectativa de analistas ouvidos pela Refinitiv é de aumento de 140 mil barris
14h: Thomas Barkin e John Williams, do Fomc, realizam discurso
15h: Balanço Orçamentário Federal

3. Primeira dose de vacina cobre mais de 100 milhões

Na quarta (13), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 318, patamar 41% abaixo daquele de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 201 mortes. As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em 7 dias foi de 11.318, queda de 22% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 8.494 novos casos.

Chegou a 149.950.990 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 70,29% da população. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 100.499.968 pessoas, ou 47,11% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 2.704.015 pessoas, ou 1,27% da população.

Reportagem de capa do jornal O Estado de São Paulo ressalta que a cobertura vacinal da primeira dose no Brasil supera aquela dos Estados Unidos e da Alemanha. Especialistas atribuem o resultado ao Programa Nacional de Imunizações, que trata como referência internacional, além da pressão por veículos de mídia e parlamentares da CPI da Covid no Senado.

Em evento online promovido pela organização Atlantic Council na quarta, o ministro da Economia Paulo Guedes afirmou na quarta que o Brasil ajudará na imunização dos países vizinhos após terminar, em dois meses, sua campanha interna de vacinação para Covid-19.

O ministro afirmou que a importância da vacinação em massa foi tópico importante nas reuniões do Fundo Monetário Internacional (FMI) das quais participou em Washington, nos Estados Unidos.

Ele também afirmou que a recuperação desigual, englobando também o acesso às vacinas, foi outro tema de preocupação.

Ele frisou que sua mensagem, nesses encontros, foi de que o país já vacinou 93% dos brasileiros com uma dose e 60% com duas doses, percentuais que estão proporcionando “uma volta segura ao trabalho”.

O ministro também voltou a criticar as previsões do FMI para a economia brasileira.

“Estamos realmente muito confiantes que vamos crescer o dobro do que o FMI está prevendo, caímos metade do que eles previram. E por que eles estão cometendo erros tão grandes? Por causa do barulho político”, disse Guedes.

Na declaração preparada para o FMI em nome de Brasil, o ministro já havia lembrado que a entidade previra tombo de 9,1% para a economia brasileira em 2020, mas que a contração foi de menos da metade disso, 4,1%.

“Neste ano eles disseram ‘ano que vem será 1% (de alta do PIB)’. E eu disse que fariam de novo, que errariam de novo. Será no mínimo o dobro, mais de 2%”, disse Guedes.

Além disso, em entrevista à rádio Jovem Pan o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alterou o discurso que vinha adotando, e disse que não vai mais se vacinar contra Covid-19 ao dizer que isso não teria “cabimento”.

“No tocante à vacina, eu decidi não tomar mais a vacina, estou vendo novos estudos, a minha imunização está lá em cima… para que vou tomar vacina? Seria a mesma coisa de você jogar na loteria 10 reais para ganhar dois. Não tem cabimento isso daí”, afirmou.

Aos 66 anos, Bolsonaro já poderia ter sido vacinado há meses. Entretanto, em vários momentos em declarações públicas e entrevistas, o presidente vinha dizendo que seria o último brasileiro a se vacinar no país.

No último domingo, Bolsonaro disse que não pôde acompanhar o jogo do Santos contra o Grêmio presencialmente por não estar vacinado.

4. ICMS sobre combustíveis, precatórios e indicação ao Supremo

A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira o texto principal de projeto que fixa o ICMS incidente sobre os combustíveis, uma proposta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, mas que não conta com a simpatia de boa parte dos governadores.

O projeto foi enviado originalmente ao Congresso pelo governo de Bolsonaro, que credita a alta dos combustíveis aos governadores e ao ICMS cobrado pelos entes da Federação.

A proposta também recebeu o apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Os governos estaduais afirmam, no entanto, que sofrerão perda de R$ 24 bilhões com o projeto que muda o cálculo do ICMS, e apontaram a política de preços praticada pela Petrobras como a verdadeira responsável pelos preços altos praticados no país.

O texto principal foi aprovado com 392 votos a favor e 71 contrários.

Segundo o relator da proposta, deputado Dr. Jaziel (PL-CE), o projeto tem a intenção de tratar de um dos pontos mais decisivos na composição do preço dos combustíveis: a carga tributária.

“De acordo com a apuração mais recente realizada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP)1, os tributos federais e estaduais respondem por cerca de 40,7% do preço da gasolina. Portanto, independentemente das discussões sobre a política de preços praticada pela Petrobras, não há como negar que a carga tributária é decisiva para o elevado custo dos combustíveis”, argumentou o relator em seu parecer.

O substitutivo apresentado por Jaziel prevê que nas operações com combustíveis sujeitas ao regime de substituição tributária, as alíquotas do imposto sejam específicas, por unidade de medida adotada, definidas pelos Estados e pelo Distrito Federal para cada produto.

“Essas alíquotas específicas serão fixadas anualmente e vigorarão por doze meses a partir da data de sua publicação”, explicou.

Essas alíquotas específicas definidas pelos Estados e pelo Distrito Federal não poderão exceder, em reais por litro, ao valor da média dos preços a consumidor final praticados no mercado considerado ao longo dos dois exercícios imediatamente anteriores, multiplicada pela alíquota ad valorem aplicável ao combustível em 31 de dezembro do exercício imediatamente anterior, diz o relatório do deputado.

Além disso, em entrevista à CNN Rádio na quarta-feira o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que a proposta de emenda à Constituição (PEC) que reformula o pagamento dos precatórios da União deve ir a votação em plenário da Casa na próxima semana e previu uma vitória tranquila para a medida.

“Na próxima semana todos os prazos estarão vencidos e a gente trará a plenário. Eu acredito numa vitória tranquila dessa PEC, porque há a necessidade realmente de se organizar o Orçamento do Brasil”, disse Lira.

“O Brasil não pode parar a máquina pública, parar os investimentos, não pode não ter espaço para criação do novo programa Renda Brasil e não pode deixar de ter uma previsibilidade das suas finanças com relação a indústria dos precatórios que existe no Brasil”, emendou ele.

Lira disse que a proposta está numa fase mais consolidada, tendo sido trazida para dentro do teto de gastos públicos.
No momento, houve a concessão de vista para a PEC na comissão especial que trata do assunto. Após a votação da matéria no colegiado, ela poderá seguir para apreciação do plenário.

Por se tratar de uma mudança constitucional, a PEC precisa de 308 votos entre os 513 deputados em dois turnos de votação.
Se for aprovada no plenário da Câmara, a matéria será analisada pelo Senado, onde são necessários os votos de 49 dos 81 senadores também em dois turnos de votação.

Indicação ao Supremo

O presidente Jair Bolsonaro defendeu na quarta-feira novamente seu compromisso de ter um ministro evangélico no Supremo Tribunal Federal (STF) e fez um elogio público a seu indicado, André Mendonça, que há três meses espera ter seu nome sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

“Se Eldorado tem um presidente, se Deus quiser, brevemente Miracatu terá um ministro do Supremo Tribunal Federal”, disse.
“À família de Miracatu, à família de André Mendonça, meus cumprimentos para este homem extremamente competente, capaz e inteligente, e dentro do meu compromisso de ter um evangélico para o Supremo Tribunal Federal”,, emendou ele, durante cerimônia de entrega de títulos de terra a famílias assentadas em São Paulo.

O presidente da CCJ e ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tem resistido a pautar a indicação de André Mendonça para a vaga do STF aberta com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello.

Segundo reportagem de bastidores publicada nesta quinta pelo jornal Folha de S. Paulo, senadores que apoiam Alcolumbre na resistência à aprovação do nome de Mendonça para o Supremo afirmam que, agora, seu desafio é deixar de marcar sua sabatina por mais dois meses. Assim, o Congresso entra em recesso e a indicação de mendonça não poderia ser aprovada neste ano.

Isso poderia inviabilizar a indicação definitivamente, já que 2022 é ano eleitoral. Segundo o jornal, as dificuldades do governo poderão aumentar, caso Bolsonaro siga em baixa nas pesquisas.

Uma reportagem de bastidores do jornal Valor Econômico afirma que Alcolumbre se considera tranquilo e “respaldado juridicamente” sobre o seu poder de suspender a sabatina de Mendonça, já que o regimento do Senado garante ao presidente da CCJ o poder de dar seguimento ao processo.

“Não há o que se possa fazer para obrigá-lo. Ele sabe, os outros integrantes da CCJ sabem e o presidente do Senado [Rodrigo Pacheco, DEM-MG] pode tentar dissuadi-lo, mas nada mais que isso”, disse uma fonte ao Valor.

5. Radar corporativo

Cyrela (CYRE3)

A Cyrela registrou R$ 2,2 bilhões em valor geral de vendas (VGV) de lançamentos no terceiro trimestre de 2021, alta de 33,2% ante o mesmo período de 2020. Segundo a prévia operacional da empresa, divulgada nesta quarta-feira, a companhia lançou 12 empreendimentos entre julho e setembro.

Por outro lado, as vendas líquidas contratadas no terceiro trimestre somaram R$ 1,366 bilhão, valor 20,2% inferior ao registrado no mesmo intervalo do ano anterior e 12,5% abaixo do segundo trimestre de 2021.

Cury (CURY3)

A Cury lançou seis empreendimentos no terceiro trimestre, com um VGV de R$ 720,2 milhões e alta de 81,5% em relação a igual período de 2020.

Even (EVEN3)

O VGV total da Even foi de R$ 767 milhões, com R$ 658 milhões direcionados à companhia, montante que superou em 5,7% igual período de 2020.

Houve queda de 42,3% nas vendas líquidas, que somaram R$ 277 milhões nos primeiros nove meses do ano.

Melnick (MELK3)

Melnick anunciou o lançamento de dois empreendimentos no terceiro trimestre, com o VGV líquido de R$ 162,5 milhões, alta de 84,6% na base de comparação anual.

Moura Dubeux (MDNE3)

Os lançamentos imobiliários da Moura Dubeux subiram 52,1% no terceiro trimestre na comparação anual, para R$ 336,2 milhões em VGV líquido. As vendas contratadas subiram 23,4% e foram a R$ 343 milhões.

EDP Brasil (ENBR3)

A EDP Brasil divulgou sua prévia operacional do terceiro trimestre de 2021. No segmento de distribuição, a empresa viu aumento de 4,2% no volume de energia distribuída entre julho e setembro sobre o mesmo período do ano passado, a 6,446 MWh, sendo alta de 3,8% na EDP São Paulo (3,927 MWh) e 5% na EDP Espírito Santo (2,518 Mhw).

No acumulado e janeiro a setembro, o volume de energia distribuída cresceu 8% ante igual período do ano anterior, com alta de 8,2% na EDP São Paulo e 7,9% na EDP Espírito Santo.

PetroReconcavo (RECV3)

A petroleira brasileira PetroReconcavo venceu chamada pública para o fornecimento de gás natural para a Companhia Paraibana de Gás (PBGás), distribuidora do insumo na Paraíba, a partir de janeiro de 2022, informou a companhia em nota nesta quarta-feira.

O contrato, a ser celebrado na primeira semana de novembro, terá duração de dois anos, com fornecimento de 50 mil m3/dia de gás natural em 2022 e 150 mil m³/dia em 2023.

Log-in (LOGN3)

A operadora logística Log-In anunciou nesta quarta-feira a compra de dois navios porta-contêineres a serem construídos pelo estaleiro chinês Zhoushan Changhong e com entregas previstas para fim de 2023 e maio de 2024.

A companhia afirmou em fato relevante ao mercado que o valor de cada embarcação é de 42,6 milhões de dólares e que eles têm capacidade nominal de 3.158 TEUs, unidade equivalente a um contêiner de 20 pés.

Segundo a Log-In, a capacidade dos navios é cerca de 25% maior do que a do Log-In Polaris, a embarcação mais moderna da frota da companhia. “Porém, com performance similar de consumo de combustível por contar com tecnologia mais atual e eficiente”, afirmou a empresa no fato relevante.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida comunicou a aquisição, por meio da subsidiária Ultra Som Serviços Médicos, de 100% do capital social da empresa Viventi Hospital Asa Sul, em Brasília (DF), por R$ 22 milhões. Além do hospital, a Hapvida fechou acordo com o proprietário do imóvel onde está o Hospital Viventi. (InfoMoney com Reuters e Estadão Conteúdo)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 1781
            [name] => Bolsa de valores
            [slug] => bolsa-de-valores
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 1781
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 229
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 7936
            [name] => Bolsas Mundiais
            [slug] => bolsas-mundiais
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 7936
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 212
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 9517
            [name] => Mercado Financeiro
            [slug] => mercado-financeiro
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 9517
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 52
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Estamos na Semana da Cozinha Italiana no Mundo. Você escolhe marcas italianas quando vai ao mercado para o preparo das refeições?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 00h30
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.