BIANUAL

BIANUAL

A partir de
Por R$ 299,00

ASSINAR
ANUAL

ANUAL

A partir de
Por R$ 178,00

ASSINAR
ANUAL ONLINE

ANUAL ONLINE

A partir de
Por R$ 99,00

ASSINAR


Mosaico Italiano é o melhor caderno de literatura italiana, realizado com a participação dos maiores nomes da linguística italiana e a colaboração de universidades brasileiras e italianas.


DOWNLOAD MOSAICO

Baixe nosso aplicativo nas lojas oficiais:

Início » Atriz Penélope Cruz declara amor pela Itália durante estreia de seu novo filme no Festival de Veneza

Atriz Penélope Cruz declara amor pela Itália durante estreia de seu novo filme no Festival de Veneza

05 de setembro de 2022 - Por Comunità Italiana
Atriz Penélope Cruz declara amor pela Itália durante estreia de seu novo filme no Festival de Veneza

A atriz espanhola Penélope Cruz declarou seu amor pela Itália no domingo (4), dia da estreia de seu novo filme, “L’Immensità”, de Emanuele Crialese, no Festival de Veneza. No longa, que concorre ao Leão de Ouro, Cruz dá vida a Clara, uma mulher que resolve se dedicar inteiramente aos três filhos para compensar a crise em seu casamento.

O filme se passa na Roma dos anos 1970 e tem como pano de fundo a identidade de gênero, já que a filha mais velha do casal, Adriana, passa a exigir ser chamada de Andrea, nome masculino na Itália.

“A Itália é a minha segunda casa, amo este país, onde sempre fui bem acolhida. É uma ligação também cinematográfica, e quando chega um projeto tão bonito como esse filme de Emanuele Crialese, fico feliz”, disse a espanhola vencedora do Oscar.

Segundo Cruz, Clara é uma mulher “dentro de uma armadilha, sem um plano B, que se torna cúmplice de seus filhos, sobretudo de Adriana, tão diferente e também infeliz e que espera que os alienígenas a levem para outro mundo onde possa se chamar Andrea”.

“Tem uma conexão muito forte entre as duas, no seu sentir-se enjauladas, sem possibilidade de escapar”, afirmou a atriz, que dá vida a mais uma mãe no cinema.

“Fiz sete filmes com Pedro Almodóvar e sou mãe em cinco deles. A maternidade me pertence, é um mundo infinito a ser sempre descoberto, assim como a família”, declarou.

Autobiográfico

Crialese, 57 anos, aproveitou a estreia de “L’Immensità” no Festival de Veneza para se assumir publicamente como homem transexual. “É uma história que me diz respeito muito de perto, é a minha história de modo poético, mas não é um filme sobre transição”, explicou.

O diretor revelou que se chamava Emanuela, mas mudou para Emanuele, que também é nome masculino na Itália. “Mudei o ‘a’ pelo ‘e’ e tive de deixar um pedaço do meu corpo, mas sou homem e não sou, sou mulher e não sou, e quero permanecer assim. Espero não ameaçar ninguém”, disse.

‘Monica’: filme estrelado por transgênero brilha em Veneza

O filme “Monica”, do cineasta italiano Andrea Pallaoro, foi aplaudido por 11 minutos em sua estreia no Festival de Veneza, no último sábado (3), repetindo o acolhimento positivo já visto com “Bones and All”, de Luca Guadagnino.

“Monica” é um dos cinco concorrentes italianos ao Leão de Ouro a ser exibido na mostra e narra a história de uma mulher transexual que volta para casa para cuidar de sua mãe moribunda.

A protagonista é vivida pela atriz transgênero Trace Lysette, uma das favoritas a conquistar a Taça Volpi de melhor intérprete no 79º Festival de Veneza.

“‘Monica’ é um momento fundamental, representa para mim uma grande oportunidade de contar aquilo que eu sou e de ser considerada uma atriz plena”, afirmou Lysette, que concluiu a transição há pouco tempo e ainda usa um passaporte com nome masculino.

“Tive momentos difíceis, quis desistir de tudo, o rótulo de gênero me perseguia, mas um amigo me encorajou a investir em mim mesma, a seguir em frente. Fiz aulas de atuação, fui chamada para ‘Law and Order’, e minha vida começou a se levantar”, contou a americana, que agora sonha em ser convidada para estrelar um filme apenas como atriz, sem o adjetivo “transgênero”.

“Acho que mereço isso, trabalhei duro e tenho talento”, acrescentou. Pallaoro escolheu Lysette entre 30 candidatas trans. “Mas tive uma empatia especial com ela”, disse o cineasta italiano.

Segundo ele, “Monica” é sobre uma filha que reencontra a mãe e a família após uma longa ausência e que quer recuperar o tempo perdido. “A memória que a mãe doente perdeu se torna o centro de tudo, e a aceitação ao outro vira o pano de fundo das relações humanas”, afirmou. (com dados da Ansa)

Comunità Italiana

A revista ComunitàItaliana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Leia também outras matérias da nossa revista.



Comentários
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 432
            [name] => cinema
            [slug] => cinema
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 432
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 47
            [filter] => raw
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 431
            [name] => Festival de Veneza
            [slug] => festival-de-veneza
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 431
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 61
            [filter] => raw
        )

    [2] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 9530
            [name] => Penélope Cruz
            [slug] => penelope-cruz
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 9530
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 3
            [filter] => raw
        )

)

ENQUETE

Você ficou satisfeito com o resultado das eleições parlamentares da Itália?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

NOSSO E-BOOK GRÁTIS

SIGA NAS REDES

HORA E CLIMA EM ROMA

  • 00h42
fique por dentro

Não perca
nenhuma
notícia.

Cadastra-se na nossa ferramenta e receba diretamente no seu WhatsApp as últimas notícias da comunidade.