O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, organizou no sábado (18) um ato em Milão, no norte da Itália, junto com outros 10 líderes da extrema-direita europeia, como a francesa Marine Le Pen e o holandês Geert Wilder.

No evento realizado na Piazza del Duomo, o líder do partido italiano Liga negou que sua legenda seja de extrema-direita e afirmou que “os extremistas são os que governaram a Europa nos últimos 20 anos”.

As eleições para Parlamento Europeu acontecem entre os dias 23 e 26 de maio.

Contramanifestação milanesa

Ao mesmo tempo que Salvini e os aliados europeus marcavam posição na Duomo, Milão era também palco de uma contramanifestação feminista, antifascista, antirracista e anti-Salvini.

A mensagem era clara e incluiu cartazes com as frases “não, ao populismo” e “Milão não é de Salvini.”

Residentes milaneses também criticaram o ministro do Interior com faixas colocadas em mais de três mil varandas pela cidade.