Velha Senhora faz partida correta fora de casa, mas sucumbe diante da pressão do Metropolitano. E poderia ter sido mais…

Regida por Cristiano Ronaldo, a Juventus é uma das favoritas ao título da Liga dos Campeões – e não é a derrota desta quarta-feira (20) que derrubará esse rótulo. Mas beira o inacreditável a capacidade que tem o Atlético de Madrid de jogar com o coração. A multidão colchonera empurrou a equipe de Diego Simeone para cima do adversário de modo que a Juve, fria e calculista por essência, em determinado momento sentiu-se acuada. Os comandados de Allegri não sabiam o que fazer. Quase como um lapso, o suficiente para o Atlético fazer 2 a 0 com gols dos seus zagueiros e abrir vantagem providencial na briga por uma vaga nas quartas de final.

A Juventus fechou a partida com incríveis 62% de posse de bola e teve um bocado de chances de gol, mas pode agarrar o alento de não voltar para casa com um placar negativo mais elástico. Diego Costa, no início do primeiro tempo, perdeu oportunidade inacreditável chutando para fora cara a cara com Szczesny; Griezmann marcaria de cobertura não fosse o toque providencial do goleiro da Juve; e Morata chegou a balançar as redes de cabeça, mas o árbitro anulou o lance com ajuda do VAR.

Juventus e Atlético de Madrid voltam a se enfrentar no dia 12 de março, às 17h (de Brasília), em Turim. O time colchonero pode perder por até um gol de diferença para ficar com a vaga nas quartas. (GE)