O vice-primeiro-ministro italiano, Matteo Salvini, disse nesta sexta-feira (19) que irá interromper uma viagem eleitoral pelo norte da Itália e retornar a Roma para resolver uma disputa dentro de seu governo sobre uma anistia fiscal, à medida em que mercados financeiros vendem títulos italianos

“Hoje estou em Trentino, mas amanhã voarei a Roma para resolver os problemas. Chega de discutir”, disse Salvini, que também é líder do partido Liga, que governa a Itália em uma coalizão com o Movimento 5 Estrelas, em comunicado.

Na quarta-feira, o líder do anti-establishment Movimento 5 Estrelas, Luigi Di Maio, disse que o texto da anistia fiscal foi “manipulado” depois que seu partido aprovou a medida, levantando dúvidas sobre a estabilidade do governo de coalizão que assumiu o poder em junho.

Enquanto o 5 Estrelas já se opôs a anistias fiscais no passado, a Liga, com sua base eleitoral de empresários autônomos, é mais favorável à medida.

Importantes políticas para o próximo ano serão financiadas pela anistia fiscal, que inclui diversas estratégias para permitir que pessoas resolvam litígios com autoridades pagando uma soma limitada. As anistias devem arrecadar cerca de 8 bilhões de euros.

(Reuters)