O lendário goleiro Gianluigi Buffon confessou em uma entrevista ao jornal “Gazzetta dello Sport” que lamenta mais a derrota da Juventus na final da Liga dos Campeões em 2017 do que a eliminação da Itália para a Copa do Mundo de 2018

Aos 39 anos e perto de se aposentar, 2017 marcou negativamente a carreira do ídolo italiano após o goleiro sofrer duas dolorosas derrotas.

A primeira em junho, quando a Juventus perdeu para o Real Madrid, por 4 a 1, a final da Champions. A segunda foi em novembro, após ser eliminada pela Suécia na repescagem para o Mundial de 2018.

Sem entrar em polêmica, Buffon escolheu qual derrota mais marcou sua carreira, e ele optou pelo jogo que tirou outra vez o caneco inédito da Liga dos Campeões das mãos do goleiro

“Não repetiria Itália e Suécia. Não falhamos com nosso espírito, atitude ou união, mas revelamos ter alguns limites. Voltaria a jogar a final de Cardiff porque, se contra a Suécia demos 80% ou 90%, contra o Real Madrid nos faltou unidade no segundo tempo, algo que sempre foi nosso ponto forte”, confessou Buffon.

Na ocasião, a Juventus encerrou o primeiro tempo da finalíssima diante do Real Madrid empatando a partida em 1 a 1. No entanto, o clube de Turim sofreu três gols na etapa final e saiu com o vice-campeonato. Buffon tentou explicar a queda de rendimento da Velha Senhora naquele jogo.

“Talvez tenhamos pensado que podíamos jogar de igual para igual e não é assim. Há valores diferentes. Uma equipe especialista deve entender que pode vencer de qualquer outra de uma determinada maneira. Quando o nível sobe, é preciso estar muito atento”, disse o goleiro.

Já sobre a eliminação da Itália para a Copa do Mundo, Buffon não culpou o técnico Giampiero Ventura, afirmando que a derrota foi “culpa de todos” do elenco da Azzurra

Buffon já anunciou que deve se aposentar ao final da temporada e que não deve mais vestir a camisa da seleção italiana. A única chance de prosseguir jogando é se a Juventus vencer a Liga dos Campeões, esticando a carreira para disputar o Mundial de Clubes.