Alemão da Ferrari aproveita problemas com os carros da Haas de Grosjean e Magnussen, faz pit stop no momento certo e deixa atual tetracampeão da F1 em segundo. Raikkonen chega em terceiro

Tudo parecia desenhado para uma vitória tranquila de Lewis Hamilton no GP da Austrália, corrida de abertura da temporada 2018 da Fórmula 1. Pois é. Parecia. Só faltou combinar com os carros da Haas. Tanto Kevin Magnussen quanto Romain Grosjean tiveram problemas em seus pit stops e pararam na pista, causando a entrada do safety car virtual. Com isso, a Ferrari enxergou a oportunidade de fazer Sebastian Vettel superar o inglês da McLaren. Dito e feito: a estratégia funcionou. O alemão conseguiu superar Hamilton no retorno à pista, assumiu a liderança e rumou tranquilo para sua primeira vitória no campeonato.

Depois de reclamar muito com a equipe pelo rádio, Hamilton teve de se contentar com a segunda posição. E ainda teve de engolir a piada que fez com o rival após a pole conquistada no sábado. Quando perguntado por Vettel sobre o modo de classificação da Mercedes, o inglês brincou: “estava esperando fazer uma boa volta para tirar esse sorriso do seu rosto”. Neste domingo, o alemão e a Ferrari riram por último. E a equipe italiana ainda assegurou o terceiro lugar no pódio com Kimi Raikkonen. De quebra, saiu de Melbourne na liderança do Mundial de Construtores.

Dono da casa, Daniel Ricciardo não conseguiu encerrar a sina dos australianos não subirem ao pódio em casa: fez boa corrida de recuperação, mas terminou apenas em quarto com a RBR. Em quinto, um bom desempenho da McLaren com Fernando Alonso. O espanhol segurou a pressão de Max Verstappen nas últimas voltas e deixou o holandês, que errou demais ao longo da prova em sexto.

Companheiro de Hamilton na Mercedes, Valtteri Bottas foi prejudicado pelo acidente na classificação e conseguiu apenas a oitava posição, uma atrás do alemão Nico Hulkenberg, da Renault. O belga Stoffel Vandoorne e o espanhol Carlos Sainz completaram os dez primeiros. (globoesporte.com)