Um fato real, a morte do guardador da biblioteca do imperador dom Pedro II é transportado para o terreno da ficção por Marco Lucchesi  e transmuta-se em uma narrativa de paixão por livros e bibliotecas. A ficção é o território da liberdade absoluta, onde o fato pode ser dissolvido

Este conteúdo é restrito a membros assinantes do site. Se você é um usuário cadastrado, por favor faça login.

Quer fazer sua assinatura Comunità Italiana e ter acesso a todo conteúdo do site?

Então clique aqui e faça seu registro.

Login de Usuários