Itália repassou 900 milhões de euros para a empresa em 2017

A Comissão Europeia iniciou uma investigação mais detalhada para analisar se o empréstimo de 900 milhões de euros concedido pelo governo italiano à Alitalia, maior companhia aérea do país, configura uma “ajuda de Estado”.

A transferência foi realizada no ano passado, após a Itália ter nomeado três comissários extraordinários para gerenciar a empresa, que é privada, e evitar mais uma crise de liquidez. De acordo com o comunicado da Comissão Europeia, o empréstimo “poderia constituir uma ajuda de Estado”. Já que sua duração, de maio de 2017 a dezembro de 2018, extrapola o máximo de seis meses previsto nas normas que regulamentam operações de resgate de companhias privadas.

“É tarefa da Comissão Europeia garantir que os empréstimos que os Estados-membros concedem às empresas estejam em conformidade com as normas da UE em matéria de ajudas de Estado”, afirmou a comissária do bloco para Concorrência, Margrethe Vestager.

O dinheiro do empréstimo será restituído ao governo italiano quando a Alitalia for vendida. Atualmente, três grupos estão na briga pela maior companhia aérea do país, incluindo a alemã Lufthansa e a britânica EasyJet.

Pouco mais da metade do capital da Alitalia está nas mãos da holding Compagnia Aerea Italiana (CAI), que tem a estatal Poste Italiane como segunda maior acionista. Os outros 49% pertencem ao grupo árabe Etihad Airways.

(com informações da ANSA)