Em mais episódios polêmicos envolvendo turistas em Roma, um egípcio, de 29 anos, foi multado em 450 euros após ser flagrado lavando os pés na Fontana di Trevi, enquanto que um norte-americano, 68, fazia o mesmo na fonte do Altar da Pátria, monumento que simboliza o nacionalismo na Itália, na Piazza Venezia

O primeiro caso foi registrado por volta de 1h40 (horário local) da madrugada desta quarta-feira (22). Na Fontana di Trevi, o egípcio mergulhou os pés na água para tentar se refrescar. Logo depois, ele foi abordado pela polícia, que aplicou a multa.

Turista é procurado pela polícia após tirar fotos pelado em fonte de monumento (Foto: Reprodução/Youtube/Roma fa Schifo)

Já o segundo episódio, ocorreu da mesma maneira poucos minutos antes no Monumento Vítor Emanuel II. Um terceiro ato também foi registrado na piazza di Spagna, por volta das 2h50 da madrugada, quando um jovem de 20 anos tentou fazer um brinde, junto com alguns amigos, com uma garrafa de champanhe nos degraus da Trinità dei Monti. Ele foi detido e multado pela polícia.

Os novos casos de mau comportamento de visitantes têm irritado os italianos, que costumam ver os turistas fazendo atos de vandalismo, além de adotar comportamentos impróprios nas principais cidades turísticas, como Roma e Veneza.

No último domingo (19), dois jovens também entraram na fonte do Altar da Pátria vestindo cuecas para tomar banho. Em um vídeo publicado nas redes sociais, um dos infratores aparece com a roupa abaixada, brincando com seu órgão genital, enquanto um amigo tirava foto. A polícia de Roma está à procura da dupla, inclusive compartilhou imagens dos dois na internet.

Turista molhando os pés na Fontana della Barcaccia, em Piazza di Spagna, Roma (Foto: Associated Press )

Atos inadequados em fontes históricas de Roma prevê multas

Em setembro do ano passado a prefeita de Roma Virginia Raggi assinou um regulamento que prevê multas de até 240 euros para pessoas que tenham condutas “contrárias às regras do decoro urbano” nas fontes históricas da capital italiana.

As multas, que vão de 40 a 240 euros (de R$ 148 a R$ 886), foram criadas para que as pessoas deixem de acampar, consumir bebidas e alimentos nas fontes, sentar e subir nas mesmas, jogar líquidos, despejar lixo, utilizá-las para lavar roupa e animais ou até nadar nelas.

Com estas multas a prefeitura da capital italiana pretende “garantir a adequada defesa do patrimônio histórico, artístico e arqueológico de Roma”.

A medida afeta as fontes romanas que têm um particular valor histórico, entre elas a Fontana di Trevi, a Fontana della Barcaccia na Piazza di Spagna, a de Nettuno em Piazza Navona e a de Dea Roma em Piazza do Campidoglio, onde está localizada a sede da câmara municipal.

O regulamento é válido até 31 de outubro e coincide com o período de férias de verão na Europa, durante o qual a capital italiana recebe um grande fluxo de turistas que, em algumas ocasiões, utilizam as fontes de Roma como refresco perante as altas temperaturas.