Diversos passageiros ficaram presos nas ferragens do trem

Nesta quinta feita (25) um acidente envolvendo um trem da Trenord provocou a morte de, pelo menos, três pessoas. O descarrilamento aconteceu entre Piotello e Segrate. As duas cidades ficam perto da capital financeira da Itália, Milão.

A companhia ferroviária estatal Ferrovie dello Stato não deu nenhum informação sobre as possíveis vítimas. Apenas deu uma nota se desculpando pelo “incoveniente técnico”, termo que vem gerando revolta pelas redes sociais.

Os vagões chegaram a entortar com o impacto sofrido, a cobertura feita pela imprensa televisiva mostrou o momento em que os bombeiros tentam remover as pessoas que ficaram presas nas ferragens do trem.

“Há entre três e cinco mortos no acidente, pelo o que sabemos no momento”, confirmaram à Reuters os bombeiros.

O trem partiu da cidade de Cremona e tinha a estação de Piazza Garibaldi como destino final. No momento do descarrilamento, o transporte que possuía seis vagões estava cheio,

Dezenas de passageiros sofreram ferimentos graves e um número maior teve lesões superficiais. Os bombeiros permanecem no local prestando socorro.

Os serviços ferroviários da Lombardia estão cancelados ou tiveram alterações, por causa do acidente. As autoridades locais estão investigando como aconteceu o descarrilamento, já que não é comum que este tipo de problema ocorra em trens centrais.

De acordo com as primeiras investigações, o desastre teria ocorrido por causa de uma falha em um dos trilhos. O motor e o primeiro vagão passaram sem nenhum problemas, o trem estava dentro da velocidade permitida, porém o segundo vagão teria descarrilado neste trilho danificado.

Dor e revolta na Itália

“Morrer assim, em 2018, e em um país que faz parte do G8 é inaceitável”, disse a líder do partido Fratelli d’Italia, Giorgia Meloni.

O acontecido levantou o problema de infraestrutura na Itália. Silvio Berlusconi se pronunciou sobre o assunto e afirmou que a Itália está em débito com a modernidade e a infraestrutura do país, principalmente se comparada à França e Espanha.