A região da Toscana, no centro-norte da Itália, é mais uma que pretende abrir negociações com o governo nacional para ampliar sua autonomia administrativa

O projeto foi anunciado na última quinta-feira (17), pelo governador Enrico Rossi, de centro-esquerda, e tem o objetivo de ampliar os poderes regionais em questões como bens culturais, portos, assistência a refugiados e saúde.

Além disso, a Toscana quer mais autonomia para coordenar os gastos públicos com suas cidades. “É um passo importante”, afirmou Rossi. As negociações com Roma, no entanto, só devem começar após o aval do conselho regional (assembleia legislativa) toscano.

Em outubro passado, Vêneto e Lombardia realizaram plebiscitos para pedir mais autonomia em relação ao governo central. Na ocasião, 98% e 96% dos eleitores, respectivamente, apoiaram a causa.

Já Emília-Romana e Piemonte também iniciaram um percurso para aumentar seus poderes, mas sem ter feito uma consulta popular.

Todas essas regiões ficam no norte da península. (Agência ANSA)