Há 69 anos o futebol vivia um dos momentos mais trágicos de sua história. A equipe italiana do Torino, considerada uma das melhores do planeta na época, teve sua trajetória interrompida no final da tarde do dia 04 de maio de 1949. O avião que transportava o elenco, comissão técnica, dirigentes e jornalistas caiu em Turim, no noroeste da Itália, e não deixou sobreviventes.

Como todo ano, no dia 04 de maio é realizada uma missa na Basílica de Superga, local do acidente, e depois é feita uma cerimônia próximo ao monumento que homenageia os mortos na tragédia. Centenas de torcedores compareceram nesta sexta-feira e, como tradicionalmente é feito, o capitão da equipe, Andrea Belotti, leu os nomes de todas as vítimas.

Como tudo aconteceu

O Torino voltava à Itália depois de viajar para Lisboa, onde enfrentou o Benfica em partida amistosa. No placar, 4 a 3 para os portugueses. A incomum derrota poderia ser um prenúncio de que alguma coisa estava errada. Por volta das 17h, o avião Fiat-G212 da ALI sobrevoava os arredores de Turim e se preparava para o pouso.

Avião que levava a delegação do Torino se chocou com basílica em Turim (Foto: Keystone/Hulton Archive/Getty Images)

Às 17h02, o experiente piloto Pierluigi Meroni, veterano da Segunda Guerra Mundial, é avisado sobre as péssimas condições climáticas na cidade italiana. Três minutos depois, a aeronave se chocou com a Basílica de Superga e todas as 31 pessoas que estavam a bordo morreram.

Adeus às lendas

O velório do Grande Torino, como ficou conhecida a melhor equipe da história do clube, contou com a presença de aproximadamente 500 mil pessoas. Os craques do time de Turim foram responsáveis por cinco, dos sete títulos de Campeonato Italiano do clube. Para se ter uma ideia da qualidade do elenco, a seleção italiana chegou a ter dez jogadores do Torino entre os onze titulares.

Traumatizada, a seleção da Itália optou por vir ao Brasil de navio para a Copa do Mundo de 1950. Sem os melhores jogadores e cansados devido a viagem de duas semanas, os italianos sequer passaram da primeira fase do Mundial.

Última partida disputada pelo Grande Torino, contra o Benfica, em Portugal (Foto: Bob Thomas/Popperfoto/Getty Images)

Semelhança com a Chapecoense

Em novembro de 2016, a Chapecoense também viveu uma tragédia parecida, quando o avião da LaMia caiu na Colômbia por falta de combustível. A equipe brasileira também estava em um bom momento e vivia o sonho de disputar sua primeira final de torneio internacional. No acidente morreram 71 pessoas e outras seis sobreviveram.

Nas redes sociais, a Chape postou mensagem de apoio ao clube italiano nesta sexta-feira. “Torino e e Chape, unidos pelo destino, para sempre amigos”, diz a legenda da postagem, que ainda traz uma imagem da vitoriosa equipe de Turim. Os italianos responderam com “Obrigado, irmão!”. (GE)