Ex presidente da Figc demonstra mágoa com os aliados

Nesta segunda-feira (20), o agora ex presidente da Federação Italiana de Futebol (Figc), Carlo Tavecchio, confirmou seu pedido de demissão em uma coletiva.

Porém, segundo a Ansa, o clima durante a coletiva mostrou o desagrado de Tavecchio e ele falou sobre ser o único a pagar pelo acontecido.

 

“Eu entreguei minha demissão e, por mero ato político, pedi que o Conselho Federal fizesse o mesmo, mas ninguém saiu. Chegamos a um ponto limite de especulações”, disse.

Ainda durante a coletiva, o ex-presidente foi questionado sobre uma declaração feita pelo presidente do Cômite Olímpico Nacional da Itália, sobre Ventura não ser a escolha de Tavecchio para a seleção.

Ventura assumiu a posição de técnico da Itália, mas não conseguiu ir para a Copa, após 60 anos de presença ininterrupta na competição.

“Ontem à noite, Malagò afirmou que o treinador foi escolhido por [Marcello] Lippi depois de uma análise de quatro nomes. Eu nunca falei isso porque não levo à público o que ocorre nas reuniões privadas. Agora, vocês sabem que Ventura não foi escolhido por Tavecchio. Mas, Tavecchio paga por Ventura”, ironizou.

“Eu estou desesperado porque não conseguimos a classificação para o Mundial. E isso virou uma tragédia? E se aquela bola [de Darmian, na trave] tivesse entrado, Tavecchio era um herói?”, questionou.

De acordo com a Ansa, o Conselho Federal anunciou que um novo presidente será escolhido em até 90 dias. Até lá o Conselho será mantido.