Nesta segunda-feira (17), um homem de 24 anos foi denunciado como suspeito no caso dos incêndios de parques pela Itália

O homem acusado pelos incêndios no Parque Nacional do Cilento e do Vale de Diano, que fica em Salerno, foi preso após ter sido visto por um policial ateando fogo  em uma área com casas próximas. Junto com os moradores e a polícia, os bombeiros conseguiram apagar o fogo rapidamente. Outro parque que também sofreu com as chamas é o Parque do Vesúvio, no sul do país.

“Quem comete um homicídio, destrói a vida de alguém em um segundo. Quem incendeia um bosque, uma floresta, uma montanha, destrói em poucos dias aquilo que o homem e a natureza realizaram por décadas ou por séculos, em alguns casos. São seres humanos portadores da morte”, escreveu o prefeito de Nápoles, Luigi de Magistris.

“Os incêndios dessas horas, desses anos, estão destruindo as nossas paisagens, a nossa beleza e a nossa vida. O incêndio no Vesúvio é um atentado contra a nossa terra e não pode permanecer sem achar os culpados”, acrescentou.

A capital italiana é outra cidade que continua sofrendo com os frequentes focos de incêndio. A via del Mare foi interditado por causa do incêndio que está perto da pista. Cerca de 60 operações ocorreram nessa noite, de acordo com os bombeiros.