O governo italiano estipulou uma multa de 4 milhões de euros após investigação

A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado (AGCM), órgão antitruste da Itália, concluiu seis procedimentos de investigação contra agências e sites de turismo por infrações contra os consumidores, anunciou a entidade nesta terça-feira (16).

As punições financeiras chegam a 4 milhões de euros.

De acordo uma nota divulgada pela entidade, os sites das agências e de comparadores afetados são o “Lastminute”, “Volagratis”, “Opodo”, “Govolo”, “Edreams” e “Gotogate”.

As investigações começaram com base em relatórios de associações de consumidores e de uma varredura realizada em 2016, chamada de Sweep 2016, que verificou 352 sites e foi coordenada pela Comissão Europeia.

Por meio de nota, o Antitruste explicou que foram encontradas informações de difícil compreensão para os consumidores, o que dificultou o próprio exercício da empresa quanto à identidade da plataforma e aos critérios de descontos aplicados no momento da reserva.

A maioria das reclamações eram sobre o mesmo assunto, sendo que os consumidores diziam que havia uma taxa a mais de preço em relação ao cartão na hora do pagamento.

Alguns sites não colocaram as informações básicas para contato e os clientes ficaram sem conseguir um retorno com a empresa – o que também é considerado ilegal na Europa. (ANSA)