Um grupo denominado AnonPlus anunciou ter feito um ataque hacker ao site da sigla governista Partido Democrático (PD) em Florença, na Itália. Segundo um comunicado, eles teriam roubado os dados de todos os inscritos na cidade, incluindo aqueles do ex-premier italiano Matteo Renzi

“Há a lista completa dos inscritos do Partido Democrático de Florença, com nomes, sobrenomes, endereços e outros dados. Há dados de Matteo Renzi e dos outros”, escreveram em uma postagem no Twitter junto com um link para baixar as informações.

Logo do grupo de hackers denominado Anon Plus

A mensagem nas redes sociais foi postada há dois dias, mas só foi encontrada pelas autoridades que investigam o caso hoje. O site do PD em Florença está inacessível desde ontem (6) e, há cerca de 24 horas, os técnicos em informática do partido tentam reativar o portal. Já a Polizia Postale, divisão da polícia italiana que cuida de crimes de informática, está com técnicos tentando rastrear a ação.

“Os dados subtraídos correspondem a 2.652 arquivos de informações pessoais, entre os quais nomes e sobrenomes, endereços de e-mail, datas de nascimento, cidades de nascimento e números de telefone, de linhas fixas e celulares”, informou a empresa de segurança FireEye.

Segundo fontes da sigla governista, entre os dados de Renzi divulgados pelo grupo, estão informações atuais do secretário-geral bem como dados da época em que ele era prefeito da cidade. Eles ainda informam que os números de telefone tornados públicos pertencem à sede da sigla ou já foram desativados por ele há alguns anos.

Além disso, as informações sobre os inscritos divulgadas também referem-se às pessoas que não tem mais vínculos com o PD.

Já o grupo AnonPlus, que diz ter uma ideologia anti-establishment, “ficou muito ativo nos últimos meses, com uma particular atenção aos sites do governo italiano”. De acordo com a FireEye, eles usam uma técnica “muito frequente” para entrar nos portais: eles inserem uma “cadeia de códigos” maliciosos no interior de alguns campos, e os hackers podem modificar os dados existentes bem como inutilizar algumas funções do site.

“Nós cruzamos muitos dos nomes e outras informações nos dados já publicamente disponíveis. Não observamos que os dados que existiam anteriormente de maneira online foram apresentados.

Isso é uma indicação de que se trata de um documento autêntico”, ressaltou a empresa de segurança.

O anúncio do ataque hacker ocorre no mesmo dia em que a Polizia Postale prendeu um hacker que fez uma ação na plataforma Rousseau, usada pelo partido Movimento Cinco Estrelas (M5S) para tomar suas decisões políticas. (ANSA)