Ex-premier vendeu o clube para chineses no ano passado

(ANSA)

O ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi cogitou nesta quinta-feira (26) recomprar o Milan, clube presidido por ele por mais de 30 anos e vendido para o investidor chinês Yonghong Li em 2017.

“Do jeito que está vou acabar recomprando o Milan”, afirmou o líder conservador durante um evento eleitoral em Údine, no nordeste do país – não se sabe se em tom de brincadeira ou falando seriamente.

Berlusconi afirmou a eleitores que pesquisas indicaram que a venda do clube rossonero foi um dos motivos do mau resultado de seu partido, o Força Itália (FI), nas eleições de 4 de março – na ocasião, o FI teve apenas 14% dos votos.

O ex-primeiro-ministro comandou o Milan em sua fase mais vitoriosa e o vendeu para Li por 740 milhões de euros. No entanto, nos últimos meses circularam notícias que jogam dúvidas sobre a real capacidade financeira do investidor chinês.

A operação é investigada pelo Ministério Público de Milão.