Com mais de sessenta desfiles, 90 apresentações e inúmeros eventos espalhados pela cidade, na quarta-feira (19) começou a edição mais incomum e ecológica da Semana de Moda de Milão

Depois de Nova York e Londres e antes de Paris, chegou a hora de Milão e das grandes marcas italianas: Dolce & Gabbana, Prada, Versace, Cavalli, Armani e Fendi.

A famosa Gucci vai se ausentar, após ter escolhido Paris para apresentar sua nova coleção.

A decisão foi especial, já que o estilista Alessandro Michele prestou homenagem à França, fonte de inspiração de suas novas peças.

Mesmo assim, a marca florentina marcou presença com um espetáculo de boas-vindas, na quarta-feira, da companhia do bailarino britânico iconoclasta Michael Clark.

A ausência de Emilio Pucci e da Trussardi será compensada pelo alemão Philippe Plein e pela marca Iceberg, além da longa lista de talentos estreantes no evento, como a Fila.

Esquecida por anos, a famosa marca de roupa esportiva da década de 90 está experimentando um retorno inédito às passarelas, graças à marca Fendi House.

Camisetas e bolsas com o logotipo da Fendi/Fila, usadas pelos tenistas Björn Borg e Boris Becker, se transformaram em peça-fetiche.

– Moda ecológica –

O respeito pelo meio ambiente, o que é ecológico e sustentável, além da colaboração entre diferentes setores, são tendência entre as marcas de luxo.

Grande exemplo disso é a nomeação recente de Virgil Abloh como diretor criativo da coleção masculina da Louis Vuitton.

A chegada do fundador da marca Off-White, muito popular entre os rappers, que colaborou com a gigante Ikea, representa a entrada da moda streetwear no universo do luxo. Abloh é também um dos únicos estilistas negros em uma marca de renome.

Além dos eventos culturais e exposições, o tema que domina a edição de Milão é o desenvolvimento sustentável.

A Câmara de Comércio da Moda italiana organizou uma entrega de prêmios para a moda ecorresponsável, e várias estrelas e personalidades da indústria do luxo foram convidadas para o baile de gala do próximo domingo no Teatro de la Scala -templo da lírica italiana-, onde serão premiadas empresas do mundo da moda mais “verdes”.

Como habitual, as diferentes marcas vão competir com a originalidade do cenário, em um verdadeiro espetáculo de criatividade.

Pela primeira vez, um setor reservado do aeroporto Milano Linate abrirá as portas para as modelos da Emporio Armani, enquanto a famosa marca de sapatos Sergio Rossi escolheu mostrar sua nova coleção na suntuosa biblioteca Ambrosiana do século XVII, que tem em seu poder o Codex Atlanticus, coleção de desenhos e escritos de Leonardo Da Vinci.

(AFP)