O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, afirmou no último sábado (11) que o governo estuda reintroduzir o serviço militar obrigatório para jovens

“Fazemos bem em considerar a reintrodução, como e quando, de algum tipo de serviço militar, do serviço público para os nossos filhos, para que eles aprendam algo de educação que mamãe e papai não são capazes de ensinar”, disse o ministro italiano durante coletiva de imprensa em Lesina, na região da Puglia, onde inaugurou a sede da Liga.

No domingo (12), Salvini publicou em sua conta no Twitter que a medida seria uma forma de “lembrar os nossos filhos que além de direitos, também existem deveres” para com o país.

No entanto, a ministra da Defesa da Itália, Elisabetta Trenta, do Movimento 5 Estrelas (M5S), já se manifestou sobre o assunto e disse que esta medida “não está mais em sintonia com os tempos atuais”.

Segundo Trenta, os soldados de hoje “são profissionais e já não temos tropas vindas dos Alpes, portanto, não há necessidade de tantos soldados todos juntos”.

Fontes da pasta da Defesa relataram que esta “é uma ideia romântica, mas nossos militares são e devem ser os mais profissionais e nesse aspecto Salvini também está de acordo”.

Em 2004, os deputados italianos aprovaram uma lei que suprimiu o serviço militar obrigatório. Na ocasião, foi proposto que a última geração que participaria seria a de 1985, com exceção dos que estavam isentos por causa dos estudos.

O objetivo era garantir oficiais suficientes para as Forças Armadas, além de não permitir o envio a missões delicadas no exterior pessoas que são obrigadas a usar o uniforme.

(Agência ANSA)