No aniversário de 110 anos do clube, ex-atacante entra para seleto grupo e lamenta: “Merecíamos ter vencido mais”

Na última sexta-feira (9), a Internazionale completou 110 anos de história. Na comemoração, resolveu premiar alguns dos grandes jogadores que passaram pelo time com a criação do seu Hall da Fama. E um deles foi Ronaldo, o Fenômeno. O brasileiro fez um discurso de agradecimento ao clube, mas também lamentou a pouca quantidade de títulos expressivos nos quatros anos em que ele ficou na Inter.

“Na minha época combatemos todas as equipes, mas também um sistema corrupto que todos descobrimos. Naquele período merecíamos mais vitórias. Também tenho que agradecer às gerações anteriores a mim, Mazzola, Corso, todos os amigos que estiveram antes de mim e me ajudaram quando vim para a Itália. Me fizeram sentir em casa. Essa geração me fez ser quem eu sou”, disse Ronaldo.

Prejudicado pela grave lesão no joelho, Ronaldo atuou apenas em 99 jogos oficiais e marcou 59 gols pela Inter entre 1997 e 2002. O único título foi a Copa da Uefa, atual Liga Europa, em 1998. Ronaldo ainda não descartou uma possibilidade de voltar ao clube para trabalhar na diretoria.

“Agora tenho vários outros projetos, mas seguramente teria prazer em voltar para ajudar a Inter a crescer mais”, declarou o ex-atacante.

Walter Zenga, ex-goleiro entre 1978 e 1994, o argentino Javier Zanetti, atual dirigente do clube e lateral do time de 1994 a 2014, e o alemão Lothar Matthäus, volante e zagueiro da Inter entre 1988 e 1992, foram os outros três jogadores que entraram para o Hall da Fama do clube de Milão, além de Ronaldo.