Fontes do governo italiano informaram nesta sexta-feira (25) que a Prefeitura de Roma fechou um acordo para transferir cerca de 40 imigrantes para residências populares após uma polêmica ação de desalojamento realizada nos últimos dias na via Curtatone.

A medida, anunciada após parte dos estrangeiros ter se negado a deixar as barracas que tinham montado em uma praça da capital italiana depois de serem despejados, afetará cerca de 400 pessoas estimadas em morar no local.

Além disso, a prefeitura de Roma fechou um acordo com uma empresa que administrava imóveis na própria rua e garantiu que seis deles sejam entregues para os imigrantes em situação de “fragilidade social por um período de seis meses sem custos para a administração pública.

A situação futura dos demais deslocados ainda não foi definida.

Entretanto, para amanhã (26), grupos sociais programaram uma manifestação para protestar contra a ação violenta ordenada pela prefeitura contra os imigrantes.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra um policial dizendo que “se for preciso, arranque um braço” de um imigrante caso ele não queira deixar o local invadido. (ANSA)