Com o Natal e as festas de fim de ano chegando, as cidades de Roma e Florença, na Itália, vão sediar a Feira Nacional de Panetone e Pandoro entre os meses de novembro e dezembro. Na capital italiana, o evento será realizado entre os dias 18 e 19 de novembro, no Templo de Adriano. Já em Florença, o festival ocorre nos dias 2 e 3 de dezembro, no Palazzo Pucci.

No decorrer das duas etapas, o público irá provar e votar no melhor panetone e pandoro, elegendo o “Embaixador do Panetone 2017”.

Última edição

A edição de 2016 do evento reuniu cerca de 25 mil visitantes e 35 confeiteiros. O pandoro é um pão doce italiano, parecido com o panetone, mas sem frutas. Geralmente, ele é feito em formato de estrela.

A história do Panetone

O panetone é um alimento tradicional da época do Natal, de origem milanesa, do norte da Itália. Várias lendas tentam explicar a sua origem. O pão doce de natal possui fragrância discreta de baunilha e recheio de frutas secas, tais como damasco, laranja, limão, figo, maçã, cidra e a uva passa.

Apesar de geralmente ser associado à cultura milanesa, tendo a forma alta e mais fina, há também o panetone piemontês, diferente apenas por ser mais largo e redondo.

A palavra panetone (do italiani panettone) tem sua origem no vocábulo milanês panatón ou panattón, de origem e significados controversos.

Por outro lado, pode-se deduzir que a origem do termo panettone se deva à contração entre o diminutivo da palavra “pão” (do italiano panetto) com o superlativo da mesma palavra (do italiano panone), isto é, panetto + panone = panettone, o que em português se assemelharia ao neologismo “pãozinhozão”.