Os índices são ainda maiores com os imigrantes: 55%

Nesta segunda-feira (12), a Banca d’Italia, banco central italiano, divulgou uma pesquisa que aponta que 23% dos habitantes da Itália correm risco de pobreza.

O estudo teve como base a quantidade de cidadãos com renda inferior a 60% da média nacional, isto é, que recebam até 830 euros mensalmente. De acordo com o Bankitalia, o indicador passou de 19,6% em 2006, antes da crise, para os 23% de 2016.

Por sua vez, quando se fala em imigrantes o risco de pobreza é ainda maior, atingindo 55%. Em 2006, era 34%. Além disso, o banco central italiano destaca que essa condição é mais comum em núcleos com chefes de família de até 35 anos (29,7%) e de até 45 (30,3%).

Também foi confirmada a discrepância entre o norte e o sul da Itália. Na parte setentrional do país, 15% dos moradores estão em risco de pobreza, já no chamado “Mezzogiorno” o índice é de 39,4%. (com informações da Ansa)