Em outubro de 2016 o STF votou e consagrou a prisão após condenação em segunda instância. O ministro Gilmar Mendes, tão e então convicto do seu voto favorável à prisão, recomendou que a decisão produzisse efeito vinculante, ou seja, se estendesse como suprema decisão sumular para todos os juízos

Este conteúdo é restrito a membros assinantes do site. Se você é um usuário cadastrado, por favor faça login.

Quer fazer sua assinatura Comunità Italiana e ter acesso a todo conteúdo do site?

Então clique aqui e faça seu registro.

Login de Usuários