A Procuradoria de Milão pediu nesta terça-feira (16) o indiciamento judicial do atual prefeito da cidade, Giuseppe Sala, por abuso de poder durante o período em que ele foi CEO da Expo Milão 2015

A denúncia surgiu em dezembro, após uma revisão de um pedido anterior, onde os procuradores mantiveram a acusação de falsidade ideológica e material, mas retiraram a de fraude em um leilão para o evento. No entanto, ao retirarem essa última acusação, os investigadores colocaram em pauta a suspeita de abuso de poder.

Agora, Sala é acusado de cometer irregularidades nos contratos para as obras das áreas verdes da feira, que ocorreu entre 1º de maio e 31 de outubro de 2015, ao contratar a construtora Mantovani sem licitação. De acordo com a Procuradoria, a empresa obteve uma “vantagem indevida” de cerca de 2,6 milhões de euros ao fornecer seis mil árvores para o local.

Além do atual prefeito, também foi solicitado o indiciamento do ex-gerente da Expo Milão Angelo Paris. Estima-se que a audiência preliminar do caso seja realizada no dia 2 de fevereiro, mesmo dia em que outros investigados por possíveis crimes comparecerão à Justiça.

No dia 31 de dezembro do ano passado, a defesa de Sala entrou com um pedido de arquivamento da denúncia por abuso de poder, alegando que ela é “infundada”.

“Ela chega ao final de uma busca frenética de uma nova acusação, em tempos absurdamente expirados… é como o elixir de Dulcamara: vale para todas as acusações quando não há nada melhor”, diz o texto apresentado aos juízes. (ANSA)