Mattarella convocou o jurista para uma reunião nesta tarde

(ANSA)

Apesar de todas as polêmicas envolvendo o passado do jurista Giuseppe Conte, o presidente da Itália, Sergio Mattarella, decidiu convocá-lo para uma reunião na tarde desta quarta-feira (23), em Roma, ocasião em que poderá oficializá-lo como novo primeiro-ministro do país.

Aos 54 anos, Conte foi o nome indicado em conjunto pelo partidos Movimento 5 Estrelas (M5S) e Liga Norte, vencedores das eleições legislativas de março, e os quais decidiram se unir para formar um governo de aliança, já que nenhum conseguiu obter a maioria do Parlamento, nem com uma série de negociações com outras legendas opositoras. A reunião entre Conte e Mattarella está marcada para às 17h30 locais (12h30 no horário de Brasília).

O nome de Conte foi indicado por Luigi di Maio, líder do M5S, e por Matteo Salvini, da Liga Norte, na segunda-feira, mas Mattarella preferiu esperar alguns dias até tomar sua decisão. Ontem, duas polêmicas minaram a imagem de Conte e colocaram em risco seu caminho ao Palácio Chigi: uma envolvendo seu currículo e outra, um caso judicial que defendeu em 2013.

Conte teria colocado em seu currículo que frequentara a New York University entre 2008 e 2009, mas a instituição negou que seu nome estivesse nos arquivos de alunos. Em sua defesa, políticos do M5S disseram que Conte fizera um curso de “aperfeiçoamento” profissional, e não um máster ou tipo algum tipo de graduação. Conte também foi criticado pela oposição por ter sido advogado de uma família que pedia autorização à Justiça para aplicar um tratamento controverso, o chamado “Método Stamina”, em sua filha.

Mas, aparentemente, as polêmicas não fizeram Mattarella descartar o nome de Conte. Caso seja formalmente nomeado primeiro-ministro, Conte será a sexta pessoa sem experiência política a ocupar o cargo. O jurista tem um vasto currículo profissional na área do direito, mas pouca familiaridade com cargos políticos.

Mesmo em espera da decisão de Mattarella, o M5S e a Liga já comemoram. “Satisfação na casa da Liga pela convocação de Conte pelo presidente da República. Estamos prontos a iniciar”, diz uma nota do partido. “Hoje começa a terceira República. Eu disse isso, eu tinha prometido”, exaltou o líder do M5S, Luigi di Maio.