Laura Boldrini aparece em imagens decapitada e degolada

A presidente da Câmara dos Deputados da Itália, Laura Boldrini, tem sido alvo de ameaças nas redes sociais. Desde o final de semana passado, foram publicadas duas fotomontagens nas quais a política aparece degolada ou decapitada, em alusão ao assassinato de uma jovem italiana cujo corpo fora desmembrado e escondido em malas por um nigeriano.

A primeira imagem foi postada no sábado (3) por um homem de 58 anos, identificado como Gianfranco Corsi, morador da província de Cosenza. A foto mostrava Boldrini decapitada, com a cabeça ensaguentada em uma mesa.

“Decapitada por um nigeriano feroz. Esse é o fim para quem aprecia os costumes dos seus amigos”, dizia a legenda. A nova imagem, que circula nesta terça-feira (6) pelo Facebook, mostra a cabeça de Boldrini entre uma pá, sendo cortada por uma pessoa com o rosto ensanguentado.

“Justiça por Pamela Mastropietro, barbaramente assassinada por um nigeriano amigo de Boldrini”, afirma a lenda. As duas montagens foram denunciadas pela página “Sentinelli di Milano”. As autoridades acreditam que elas tenham sido publicadas por críticos da parlamentar, cujo trabalho é conhecido por defender os direitos de imigrantes.

As fotos também estão ligadas ao assassinato da jovem Pamela Mastropietro, cujo corpo fora encontrado desmembrado dentro de malas. O principal suspeito do crime é um nigeriano.

Mas um jovem com tendência ultranacionalista, Luca Traini, resolveu revidar o crime e abriu fogo contra turistas e imigrantes em Macerata, deixando 11 feridos. “Eu pago todos os dias pelo meu compromisso contra os movimentos de direita, quando minha cabeça é decapitada em uma fotomontagem, a qual circula nas redes sociais diante dos olhos da minha filha. Eu pago, mas não tenho medo”, disse Boldrini, candidata às eleições de março pelo partido Liberi e Uguali (LeU). (ANSA)