A investigação é referente ao contrato da exposição Universal de 2015

A Procuradoria-Geral do Tribunal de Contas da Lombardia notificou o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, que ele é investigado por um suposto dano aos cofres públicos de 2,2 milhões de euros.

O caso se refere ao fornecimento de árvores para a Expo Milão 2015, evento realizado entre 1º de maio e 31 de outubro daquele ano e que foi comandado por Sala, eleito prefeito da capital lombarda em junho de 2016.

Também foram notificados o ex-diretor da empresa Infrastrutture Lombarde Antonio Rognoni e o ex-gerente da Expo Angelo Paris. O Tribunal de Contas apura por que o fornecimento de 6 mil árvores e arbustos pela empresa Mantovani foi feito sem licitação.

O contrato foi de 4,3 milhões de euros, mas o custo efetivo do trabalho teria sido muito menor, causando um prejuízo de 2,2 milhões de euros ao erário da Expo, que era gerida por uma empresa pública.

“Sempre agi seguindo os prazos e procedimentos. Tudo aquilo que fiz foi aprovado pela Advocacia do Estado e pela Procuradoria de Milão. Se voltasse no tempo, faria as mesmas coisas”, declarou Sala, que já foi denunciado por abuso de poder pelo Ministério Público de Milão no mesmo inquérito.

A defesa do prefeito pediu o arquivamento da denúncia. (ANSA)