Chiara Appendino, prefeita de Turim pelo partido M5S é sendo investigada por ocultar dívidas

Chiara Appendino está sob suspeita da Procuradoria da República por falsificação do balanço da cidade de Turim.

A prefeita que faz parte do partido populista M5S e está sendo investigada há alguns meses.

Após a denúncia dos conselheiros municipais (vereadores) Alberto Morano e Stefano Lo Russo, que são de partidos opostos.

Eles denunciaram uma dívida de 5 milhões de euros que Piero Fassino, do Partido Democrático, antecessor de Chiara, teria contraído em seu mandato.

De acordo com a Ansa, este dinheiro teria sido adiantado pela Real Estate Asset Management (Ream), em 2012.

A quantia era para construir um centro comercial em uma antiga área industrial de Piemonte.

O valor teria sido devolvido este ano, porém nunca foi desembolsado ou entrou no orçamento.

“Estou absolutamente serena e pronta a colaborar com a magistratura, certa de sempre ter buscado com o máximo rigor o interesse da cidade e dos habitantes de Turim”, disse Appendino.

De acordo com a prefeita, nunca foi uma decisão esconder essa movimentação.

“Desejo ser ouvida o mais rápido possível para esclarecer todos os aspectos de um caso complexo”, acrescentou.

Segundo a Ansa, a investigação também se estende o chefe de Gabinete de Appendino, Paolo Giordana, e o secretário de Orçamento da cidade, Sergio Rolando.

Chiara Appendino é mais um dos destaques de seu partido a ser investigado pela polícia.

Há cerca de um mês, Virginia Raggi, prefeita de Roma, foi acusada por falso testemunho durante depoimentos sobre a escolha de seus assessores.

As duas prefeitas foram eleitas em 2016, uma grande vitória para o partido M5S.

Um partido que nasceu contra a política tradicional, se dizendo sem tolerância para a corrupção e se tornando o maior opositor no país.