Um poeta do espaço dentro de um cosmos sazonal, retrátil e expansivo Como definir o cosmos de Nazareno, em sua condição tácita e vibrátil, feito de puro dinamismo? Como definir esse microuniverso em busca permanente de sinais, remissões que redesenhem um gesto concentrado e  primordial, como um alfa cheio

Este conteúdo é restrito a membros assinantes do site. Se você é um usuário cadastrado, por favor faça login.

Quer fazer sua assinatura Comunità Italiana e ter acesso a todo conteúdo do site?

Então clique aqui e faça seu registro.

Login de Usuários