Surpreendendo o governo italiano o PIB do segundo trimestre de 2017 teve um crescimento de 0,4%

Segundo os dados iniciais do Instituto de Estatísticas Italiano (Istat), o PIB (Produto Interno Bruto) da Itália cresceu 0,4% no segundo trimestre deste ano, comparando ao ano de 2016.

Se a análise for ser feita exatamente entre o mesmo trimestre do ano passa, os números são mais animadores ainda, o crescimento é de 1.5%. Até o momento em que esses números foram divulgados, nesta quarta-feira (16), o crescimento nesses seis meses foi de 1,2%. Os dados colhido mostram uma melhor visão do que a que o governo italiano tinha no início.

O Istat prevê uma alta de 1,5%, caso o mesmo ritmo de crescimento sej mantido. Anteriormente o governo esperava uma alta de 1,1% para 2017.

A razão deste crescimento tem a ver com a indústria e pelos serviços, já a agricultura teve uma queda na produção.

“Istat. Crescimento 2017 previsto para +1,5% melhor do que as previsões. Uma boa base para retomar a economia e os postos de trabalho”, escreveu o primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, em sua conta no Twitter.

O ministro das Finanças, Pier Carlo Padoan, disse que este aumento “teve a contribuição de uma política econômica que, desde 2014, tem procedido com coerência em um sentido longo e estreito, mas traçado de modo claro: redução de taxas, incentivos aos investimentos privados, medidas sociais para o combate à pobreza e à desigualdade, gestão focada na melhora do saldo das finanças públicas”.

Porém, Padoan reconhece que o país precisa ir além pelos jovens, os mesmo representam mais de 30% dos desempregados no país. (ANSA)