Os países que fazem parte do G7 assinaram neste domingo (15), em Bergamo, norte da Itália, uma declaração conjunta na qual se comprometem a tirar 500 milhões de pessoas da fome até 2030.

O documento foi firmado pelos ministros da Agricultura da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido e também prevê medidas para combater as mudanças climáticas.

“500 milhões de pessoas fora da fome até 2030 por meio de compromissos concretos dos sete países”, declarou o ministro italiano das Políticas Agrícolas, Maurizio Martina. Segundo ele, a “Declaração de Bergamo” foi aprovada por unanimidade, ao fim de dois dias de reuniões na cidade lombarda.

O documento

O documento possui cinco prioridades: defender a renda de agricultores – principalmente os pequenos – de desastres climáticos: aumentar a cooperação agrícola na África; reforçar a transparência na formação de preços de insumos; reduzir o desperdício alimentar; e adotar políticas concretas para o desenvolvimento de sistemas produtivos regionais.

A cúpula dos ministros do G7 em Bergamo também contou com a presença do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano. “Há temas nos quais ainda precisamos aumentar os esforços, como a proteção do solo e da biodiversidade e a maior transparência na formação dos preços de alimentos”, acrescentou Martina. (ANSA)