Basílica di Santa Maria del Fiore

O número de turistas brasileiros na cidade de Florença, no norte da Itália, teve um crescimento de 18,4% em 2017, de acordo com dados do Centro de Estudos Turísticos da capital da Toscana

A crescente presença de habitantes do Brasil contribuiu para uma alta de 7,8% na quantidade de turistas na cidade no ano passado, totalizando mais de 10 milhões de reservas em hospedagens, sendo 7,6 milhões feitas por estrangeiros.

Já o número de turistas russos cresceu 51%, enquanto que o de australianos aumentou 6%.

Florença

Piazza del Duomo

Considerada o berço do Renascimento italiano e uma das cidades mais belas do mundo, Florença, município italiano, sub-capital e maior cidade da região da Toscana e da província homônima, foi durante muito tempo considerada a capital da moda.

Tornou-se célebre, também, por ser a cidade natal de Dante Alighieri, autor da Divina Comédia, que é um marco da literatura universal e de onde a língua italiana moderna tem várias influências.

Estima-se que aproximadamente 40% do acervo artístico da Itália está nos museus e nas ruas de Florença. Duas das galerias mais concorridas do mundo, Uffizi e Accademia, lá se encontram apresentando aos visitantes as obras de Michelangelo, Botticelli e outros artistas.

Batistério de São João

Em questão de turismo em Florença os principais pontos da cidade são a Basílica di Santa Maria del Fiore, conhecida como Catedral de Florença ou Duomo de Florença, a Piazza del Duomo, ou Praça da Catedral em português, na qual fica localizada a Catedral de Florença e uma das mais visitadas de toda a Itália, o Campanário de Giotto, o Batistério de São João (um dos edifícios mais antigos de Florença, construído entre 1059 e 1128) e o Museo dell’Opera del Duomo (que abriga as obras da Basilica di Santa Maria del Fiore e obras do pintor Donatello).

Também não podemos esquecer da Basílica de São Lourenço, do  Mercado Central de Florença, do Mercato di San Lorenzo, no qual funciona a maior e mais importante feira de Florença, e da Ponte Vecchio, que foi construída em 1345 sobre o rio Arno e posteriormente foi poupada pelas bombas jogadas pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.