A Brasileira Genosita Barbosa está em regime fechado em Gênova, mas entrou com ação para cumprir pena em prisão domiciliar

A advogada da brasileira pediu a transferência de Genosita para prisão domiciliar.

No início de dezembro a mulher matou o ex-marido Antonio Olivieri na Itália.

“Para os atos, não existem provas concretas que liguem a minha cliente ao homicídio do marido. Depois de ter consultado a senhora Barbosa, que se declara completamente inocente, na prisão de Gênova Pontedecimo, nós decidimos apresentar o pedido para sua liberação justamente pela ausência de provas”, disse Nicoletta Peri.

Peri afirmou que está sendo criado um “circo midiático para fazer com que Barbosa pareça uma serial killer”.

Segundo a Ansa, há outra morte está sendo investigada, envolvendo Genosita.

Há um ano, Aldo Bacigalupo, 81 anos, faleceu de forma natural, de acordo com os médicos. Ele morava próximo à casa da criminosa e agora a polícia apura o caso.

O atual companheiro da brasileira, também foi preso, Paolo Ginocchio, acusado de planejar e assassinar Olivieri juntos.

De acordo com as investigações, Barbosa estava em processo de separação do italiano.

O divórcio era complicado, pois Olivieri havia conseguido a guarda do filho que tem com Genosita e da outra criança de um relacionamento anterior da ex-mulher.

Genosita era viciada em jogos e iria usar a herança para pagar dívidas.